Memória: a devoção de Madre Elisa na educação - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História11/05/2016 | 06h00Atualizada em 11/05/2016 | 13h36

Memória: a devoção de Madre Elisa na educação

Atuando na Congregação de São Jose e amparada na filosofia cristã, religiosa influenciou gerações de alunos a partir dos valores humanísticos

Memória: a devoção de Madre Elisa na educação Roni Rigon/Agencia RBS
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Irmã Elisa Anna Rigon (1919-2016) dedicou intenso esforço na área do ensino. Seu ânimo esteve voltado para a construção das instituições educativas em comunidades carentes. Atuando na Congregação de São Jose e amparada na filosofia cristã, influenciou gerações de alunos a partir dos valores humanísticos.

Em 1957, aos 38 anos, mudou-se para Fazenda Souza, onde aceitou a missão de fortalecer a recém constituída Congregação das Murialdinas. Nessa comunidade, conheceu o trabalho do padre João Schiavo, amizade que renovou sua afeição e compromisso pela missão pedagógica — Irmã Elisa foi a primeira diretora do Colégio Santa Maria Goretti.

Capitel de São Roque, uma tradição de Galópolis

Preocupada com os movimentos sociais e problemas advindo dos loteamentos irregulares, abraçou a causa na construção do Centro de Promoção do Menor Santa Fé. Em 1977, juntamente com o Bispo Dom Benedito Zorzi e esforços comunitários de instituições educativas e religiosas materializou um ambiente fraterno para acolher e educar as crianças.

Na foto que abre a matéria, percebe-se Elisa Ana Rigon junto ao túmulo de padre João Schiavo, em março de 2008.

A biografia do padre João Schiavo

Nos últimos 20 anos, Elisa Rigon trabalhou intensamente no movimento para beatificação do padre João Schiavo. Todo seu empenho na pesquisa resultou na elaboração de dois livros. O primeiro volume, publicado em 2000, resgatou a trajetória do religioso italiano e suas ações em Caxias do Sul.

O Capitel da Mariana e as lembranças de dona Suely Bascú

O segundo, lançado em 2006, fortaleceu o aspecto da espiritualidade, visando exprimir a importância na construção de um mundo mais fraterno e humano. Elisa era uma das mantenedoras do memorial João Schiavo, localizado nas dependências do Congregação Murialdina, em Fazenda Souza. 

O livro lançado nos anos 2000 Foto: Roni Rigon / Agencia RBS

Murialdinas visitam o Papa João Paulo II

A professora Mirna Sartor lecionou na Colégio Santa Maria Goretti, em Fazenda Souza. Ali, conheceu Madre Elisa Rigon, com quem manteve uma forte amizade. Mirna recorda de que Elisa falava quatro idiomas (francês, latim, português e italiano), gostava de fazer poesias, tocar piano e fazer cartões em computador.

A cidade e o Carmo pelo olhar do Irmão Bonifácio

Depois que saiu da escola, Mirna continuou a conviver com Elisa, tendo seu último contato em um almoço, dia 18 de abril de 2016. Madre Elisa faleceu no último dia 20 de abril. 

 Na foto abaixo percebe-se a irmã Elisa ao lado esquerdo do Papa João Paulo II, numa visita das Ordem das Murialdinas de São José a Roma, em 1979. Elisa, nascida em Garibaldi, era filha de Maria Zattera e Francisco Rigon. 

25 anos sem o Frei Ambrósio Tondello

Visita ao Papa João Paulo II em 1979. Irmã Elisa aparece ao lado esquerdo do religioso.  Foto: Foto Vaticano / Agencia RBS

Confira outras publicações da coluna Memória

Informações desta coluna são uma colaboração do repórter fotográfico Roni Rigon.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros