Memória: Vinícola Adega Pezzi em 1933 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História14/03/2016 | 18h21

Memória: Vinícola Adega Pezzi em 1933

Empresa fundada por Ettore Pezzi produzia os lendários vinhos da marca Perdigueiro

Memória: Vinícola Adega Pezzi em 1933 Geremia/Agencia RBS
O estande da Vinícola Pezzi na Festa da Uva de 1933. Foto: Geremia / Agencia RBS

Diretor da Estação Experimental de Viticultura e Enologia e com atuação marcante na vitivinicultura, o italiano Celeste Gobbato presidiu a Festa da Uva de 1933 e desde sempre incentivou a participação de produtores de uva e vinho. Entre eles, a vinícola Adega Pezzi, produtora dos clássicos vinhos da marca Perdigueiro -  o rótulo, logicamente, foi inspirado na raça canina, marcando época no mercado brasileiro.

Celeste Gobbato e os primórdios do abastecimento de água em Caxias do Sul

Conforme o relatório da festa de 1933, a Vinícola Pezzi recebeu classificação e premiação no quesito em que destacava a beleza dos estandes. Além da Pezzi, foram laureadas a Vinícola Antunes,  a Sociedade Vinícola Riograndense, John Jurges & Cia e Luiz Michielon. Como prêmio, a Livraria do Globo ofereceu uma caneta Haro para o empresário Ettore Pezzi. 
 
A sede

A Vinícola Adega Pezzi foi constituída por Ettore Pezzi em 1918. A empresa localizava-se na Rua Marquês do Herval, entre as Os 18 do Forte e Sinimbu. O empreendimento tinha como sócio o irmão Mário Pezzi.

Em 1928, quando Getúlio Vargas, então presidente do Estado do Rio Grande do Sul, visitou Caxias do Sul, foi recepcionado na Adega Pezzi. A empresa mostrou a Vargas todo o processo de engarrafamento.

Adega Pezzi: uma esquina, 40 anos de diferença


A fachada da empresa na Rua Marquês do Herval, em meados da década de 1920. Foto: reprodução/ acervo de família

História em livro

Em 1996, a descendente Susete Pricilla Pezzi  rememorou as origens da família Pezzi em livro. A capa foi ilustrada com um retrato do avô, Abramo Pezzi,  nascido no norte da Itália.

Professor na região de Trentino, Pezzi emigrou para o Brasil em 1876, época em que a antiga vila tinha apenas 400 casas. Com uma cultura avançada adquirida na Europa, Abramo começou a lecionar em sua própria residência.

Ettore e Mário são filhos de Abramo Pezzi.

Confira outras publicações da coluna Memória


Capa do livro lançado por Susete Pricilla Pezzi  em 1996. Foto: reprodução, acervo de família.

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros