Memória: uma gincana de lambretas em 1959 - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História21/03/2016 | 11h05

Memória: uma gincana de lambretas em 1959

Provas reuniram 15 duplas e integraram as comemorações dos 13 anos de fundação da Rádio Caxias

Memória: uma gincana de lambretas em 1959 Ary Pastori/Acervo pessoal de Hugo Cantergiani,divulgação
A gincana teve a participação de 15 duplas mistas Foto: Ary Pastori / Acervo pessoal de Hugo Cantergiani,divulgação

Quem participou ou testemunhou, não esquece. Falamos das famosas gincanas de lambretas, que movimentavam e atraíam centenas de curiosos ao centro de Caxias nos anos 1950 e 1960. Em 7 de maio de 1959, por exemplo, a Avenida Júlio de Castilhos se viu tomada pelos competidores de uma prova integrante das comemorações do 13º aniversário da Rádio Caxias — fundada em 27 de abril de 1946.

A prova teve a participação de 15 duplas mistas: naqueles tempos, a maioria dos rapazes convidava as namoradas para competir, enquanto os solteiros costumavam levar irmãs, primas ou amigas. Durante a gincana, os jovens encaravam "desafios" como as provas da gangorra, do vaso e da moeda. Sagravam-se campeões os que concluíssem as atividades em menor tempo.

Carrinhos de lomba fervem a Rua Os Dezoito do Forte em 1950

O advogado Hugo Cantergiani e a irmã Liana Cantergiani, à época com 15 e 19 anos, respectivamente, participaram daquela prova — e terminaram a competição em quinto lugar, com um tempo de quatro minutos e 48 segundos. Foram cedidas por seu Hugo as imagens que ilustram esta página, captadas pelo fotógrafo Ary Pastori.

Na foto que abra a reportagem, o grupo de participantes, a maioria deles amigos que se reuniam aos fins de semana para se divertir com suas lambretas pelas ruas centrais. Abaixo, algumas sequências das provas de 1959, com seu Hugo na gangorra de madeira improvisada com um banquinho. O desafio era equilibrar a lambreta pela madeira, sem deixá-la cair.

Em seguida, Liana, usando um saco na cabeça, tenta acertar o vaso suspenso por uma corda. A última foto mostra a prova da moeda, que consistia em pegá-la com a boca dentro de um prato cheio de farinha.  

Taca-le pau na Rua Os Dezoito do Forte em 1950


Hugo durante a prova da gangorra. Foto: Ary Pastori/ acervo de Hugo Roberto Cantergiani, divulgação


A prova do vaso consistia em acertar o objeto sem enxergá-lo. Foto: Ary Pastori/ acervo de Hugo Roberto Cantergiani, divulgação



No registro, Hugo e Liana tentam encontrar uma moeda em um prato com farinha. Foto: Ary Pastori/ acervo de Hugo Roberto Cantergiani, divulgação

Os tops

A gincana, com apoio e supervisão da lendária concessionária Bay & Cia, foi vencida pela dupla Renato e Maria Fedrizzi. Os dois terminaram as provas em 3 minutos e 58 segundos.

O segundo lugar teve empate entre Augusto Casagrande e Julieta Scalcon e Alzane Frizzon e Marlene Frizzon. Ambas as duplas levaram quatro minutos e 15 segundos para finalizar as provas.

Conforme matéria publicada pelo Pioneiro em maio de 1959, após a competição os vencedores foram recepcionados no auditório Arnaldo Ballvé.

Nas curvas do Autódromo de Tarumã em 1973


Competição foi noticiada no Pioneiro de 9 de maio de 1959. Foto: acervo do Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, reprodução

A classificação
 
1º: Renato Fedrizzi e Maria Fedrizzi
2º: Empate entre as duplas Augusto Casagrande e Julieta Scalcon e Alzane Frizzon e Marlene Frizzon
3º: Elidio Lamperti e Celita De Stefani
4º: Ari Guerra e Sueli Festahur
5º: Empate entre as duplas José Martini e Rosmary Belló e Hugo Cantergiani e Liana Cantergiani
6º: Sergio Angeli e Regina
7º: Ary Giacomet e Iraci
8º: Rômulo Martini e Elisabeth D' Andrea
9º: Belwan Bertoluzzi e Lourdes Andreis
10º: Gilbert Mattana e Joice Cons

*Com a colaboração de Alana Fernandes.
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros