Memória: um espaço dedicado ao tradicionalismo - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

História12/03/2016 | 06h05

Memória: um espaço dedicado ao tradicionalismo

Entre 1959 e 1961, Joaquim Pedro Lisboa e Clóvis Pradel Pinheiro assinaram a Página Tradicionalista do jornal Pioneiro

Memória: um espaço dedicado ao tradicionalismo Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami/divulgação
Joaquim Pedro Lisboa (à esquerda) declama para o governador em exercício da Bahia Orlando Moscozo, durante a visita a Salvador Foto: Acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami / divulgação

Ao mesmo tempo em que se envolviam com as atividades do recém-inaugurado Rincão da Lealdade, em 1953, e os programas nativistas da Rádio Caxias, Clóvis Pradel Pinheiro e Joaquim Pedro Lisboa também levavam as notícias da cultura gaúcha aos leitores do Pioneiro. Entre 1959 e 1961, ambos assinavam a "Página Tradicionalista", publicada semanalmente no jornal.

O espaço dedicado às notícias, concursos, vocabulário, indumentária e atrações dos CTGs da época ainda trazia as seções "Resumo Histórico do Rio Grande do Sul" e "Baú da Estância", escritas pelo senhor Walter Spalding.

Poemas também costumavam ser veiculados com frequência, muitos deles assinados pelos dois titulares da página e por autores como Alfredo Costa Machado, Kléber Mércio, Félix Contreiras Rodrigues, Luiz Alberto Ibarra e José Paim Brites.

Confira outras publicações da coluna Memória.

Na foto que abre a reportagem, Joaquim Pedro Lisboa (1887-1974), fundador do Rincão da Lealdade, declama para a comitiva do governador em exercício da Bahia Orlando Moscozo. Foi durante uma visita da diretoria da Sociedade Vinícola Rio Grandense e do Rincão a Salvador, em junho de 1961.

O roteiro integrava as comemorações do jubileu de prata da instalação da filial da empresa na capital baiana, em 1936. Na foto mais abaixo, Clóvis (ao centro) e Joaquim aparecem confraternizando com a comitiva. Toda a cobertura da visita, logicamente, foi divulgada pela coluna de 55 anos atrás.

CTG Rincão da Lealdade visita a Bahia em 1961


Joaquim Pedro Lisboa e Clóvis Pinheiro (ao centro) ) foram recepcionados pelo governador em exercício da Bahia, Orlando Moscozo, em Salvador. Foto:acervo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami, divulgação

Grafismo gauchesco

Uma curiosidade era a arte gráfica do título da coluna, com as letras formadas a partir de ícones da cultura gaúcha: uma boleadeira dando forma a um "T", uma chaleira e um fogo de chão representando o "A", uma adaga e uma bomba simbolizando o "I", uma rastra (a letra C), uma bota (a letra L), um laço (a letra O) e uma espora (a letra S).


Detalhe da página tradicionalista assinada por Joaquim Pedro Lisboa e Clóvis Pinheiro no Pioneiro. Foto: reprodução Centro de Memória da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul, divulgação

Atuação

Nascido em Porto Alegre em 5 de agosto de 1927, o poeta e tradicionalista Clóvis Pradel Pinheiro teve atuação destacada no Rincão da Lealdade por mais de 30 anos, 13 deles como patrão.

Além de percorrer o país com as invernadas artísticas, recebeu prêmios como a medalha de ouro relativa ao "Mérito da Tradição Joaquim Pedro Lisboa" e o diploma de "Tradicionalista do Ano" durante três edições consecutivas.


Clóvis Pradel Pinheiro (de óculos) entre Margot Sauer, Luiz Carlos de Lucena, Verônica Sehbe Rizzo e Fernando Oliveira Rizzo em 1973, época em que dirigia o programa nativista Rancho da Saudade na TV Caxias Canal 8. Foto: arquivo RBS TV, divulgação

Rádio e TV

Na imprensa, Clóvis Pradel Pinheiro apresentou os programas "Canhadas e Coxilhas" e "Venha pra Cancha, Amigo", na Rádio Caxias, e dirigiu o "Rancho da Saudade" na antiga TV Caxias, canal 8. Foi o responsável cultural da 25ª Região Tradicionalista e também membro-fundador da Academia Caxiense de Letras.

Rádio Caxias, 70 anos: Venha pra Cancha, Amigo

Auditório da Rádio Caxias, um palco de estrelas nos anos 1950 e 1960

Seu Clóvis faleceu em 1993, aos 65 anos. Em 2014, alguns de seus poemas foram reunidos no livro Minha Terra, publicado pela Editora Belas Letras. O local do lançamento? O Rincão, óbvio, sua segunda casa...

Família lança livro de poesias em homenagem a Clóvis Pradel Pinheiro


Clóvis Pradel Pinheiro faleceu em 1993. Foto: acervo da família, divulgação

 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros