Fechamento de portões de acesso à UCS gera reclamações de moradores em Caxias - Cidades - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Comunidade08/10/2014 | 16h48

Fechamento de portões de acesso à UCS gera reclamações de moradores em Caxias

As travessias são trancadas à noite e aos finais de semana

Fechamento de portões de acesso à UCS gera reclamações de moradores em Caxias Roni Rigon/Agencia RBS
Dieiza costumava levar os filhos para brincar no campus nos fins de semana Foto: Roni Rigon / Agencia RBS
Moradores dos arredores da Universidade de Caxias do Sul (UCS) reclamam do fechamento de três portões de acesso para pedestres. As portas, na divisa com os bairros Presidente Vargas e Petrópolis, são fechadas dos sábados às segundas-feiras. A medida também afeta os bairros Diamantino e do Dom Pedro II, cujos moradores reclamam não poder entrar no campus pelos portões para lazer ou para pegar ônibus ou táxi- lotação. O acesso principal à universidade, pela BR-116, e os secundários, pelo Petrópolis e Cruzeiro, seguem abertos.

Os pátios da UCS estão entre os pontos procurados para lazer aos finais de semana.

Dois portões ligam o Presidente Vargas à Rua Professor Antônio Vignoli, na UCS, perto da Vila Poliesportiva e do Ambulatório Central. Os portões ficam no fim das ruas Alan Kardec e Raul Pila, ambas sem saída, mas que permitem acesso ao ônibus. A Visate atende o bairro com a linha Diamantino, mas há moradores que vão à UCS embarcar no Interbairros, Cinqüentenário ou táxi-lotação.

— Costumava pegar ônibus ali na UCS no fim de semana ou levar meus filhos para andar de bicicleta. Agora não dá mais — reclama Dieiza Moreira, 29, mãe de Isadora, dois, Rafaela, três, e Rafael, sete.

O terceiro portão fica no fim da Rua Antônio Xavier da Luz, no Petrópolis.

— Alegam que a UCS é comunitária, mas quando se trata de abrir os portões à comunidade, não dá — alega Sérgio Campos, presidente da Amob Presidente Vargas e Dom Pedro II.

Segundo o chefe de gabinete da UCS, Gelson Leonardo Rech, a medida visa assegurar segurança no campus, porque nos últimos meses aumentaram os furtos e roubos. A vigilância privada, pela Brigada Militar e o monitoramento por câmeras foram melhorados.

Rech argumenta que praticamente todos os serviços da UCS estão fechados no sábado à tarde e que é preciso zelar pelo patrimônio, privado.

— Não estamos fechando a instituição para a comunidade, há outros acessos — destaca.

Embora polêmico, o fechamento dos portões não é ilegal. A UCS tem autonomia para fechá-los porque dão acesso diretamente ao campus. O portão do Petrópolis leva a um estacionamento ao lado do Museu de Ciências Naturais. As outras duas portas conduzem a um trecho particular da Rua Professor Antônio Vignoli.

Conforme Rech, o fechamento também ocorre porque, se acontecer algum crime, a vigilância privada da universidade não pode atuar caso o autor fuja por um dos portões.
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros