Barragem do Marrecas, em Caxias do Sul, segue passando por testes e ajustes - Cidades - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Abastecimento22/06/2014 | 15h09

Barragem do Marrecas, em Caxias do Sul, segue passando por testes e ajustes

A maior obra da cidade foi inaugurada pela presidente Dilma Rousseff dia 22 de dezembro de 2012

Barragem do Marrecas, em Caxias do Sul, segue passando por testes e ajustes Juan Barbosa/Agencia RBS
Samae argumenta que trabalha com calma porque a cidade está com os demais reservatórios cheios Foto: Juan Barbosa / Agencia RBS
A Barragem do Marrecas, maior obra de interesse público de Caxias em todos os tempos, completa um ano e seis meses de inauguração sem estar em funcionamento. Por conta de um cronograma de ajustes e testes nem sempre bem sucedidos, que envolvem desde a casa de bombas do complexo até o reservatório de tratamento de água, a data para que o sistema esteja em funcionamento já foi adiada pelo menos três vezes. E segue indefinida.

Inaugurado no dia 22 de dezembro de 2012 pela presidente Dilma Rousseff (PT), o Sistema Marrecas (lago, barragem e casa de máquinas) serve hoje de ponto turístico para a população, que pode agendar visitas monitoradas. Baseado no argumento de que os demais reservatórios da cidade estão cheios, o Samae não demonstra preocupação nem pressa diante da demanda do Marrecas.

_ Estamos trabalhando com calma, realizando todos os testes necessários para que, quando entrar em funcionamento pleno, não ocorra nenhum contratempo _ informa o presidente da autarquia, Edio Elói Frizzo, que prefere não arriscar novo prazo para o funcionamento do sistema.

Atualmente, estão sendo feitos trabalhos de contenção dos vazamentos no corpo da barragem, problema que foi sendo detectado durante o enchimento da lagoa. Uma licitação está em andamento para contratar uma empresa que resolva outros vazamentos, pelas ombreiras da barragem.

A ETA Morro Alegre, no distrito de Vila Seca, já tem água do Marrecas graças a testes realizados no começo do mês de abril. Foram bombeados até o reservatório cerca de 1,5 milhão de litros, até que uma das flanges da casa de bombas não suportou a pressão de refluxo da água, provocando vazamento. Em janeiro deste ano, também durante um teste, uma peça de conexão se partiu em pedaços por conta da pressão da água. Assim que todos os ajustes e análises forem feitas, a água será transportada por gravidade para o reservatório de chegada no bairro Jardim das Hortênsias, às margens da Rota do Sol, e de lá será distribuída para bairros da região do São Ciro, os primeiros a serem beneficiados com o abastecimento do Marrecas.
 
 
 

Veja também

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros