Para trazer os detalhes a seu favor, Caxias recebe o Marcílio Dias no Centenário - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Série D24/10/2020 | 10h00Atualizada em 24/10/2020 | 10h00

Para trazer os detalhes a seu favor, Caxias recebe o Marcílio Dias no Centenário

Grená enfrenta o Marinheiro neste domingo (25)

Para trazer os detalhes a seu favor, Caxias recebe o Marcílio Dias no Centenário Vitor Soccol/SER Caxias,Divulgação
Marcelo Pitol espera que Caxias faça valer o fator casa Foto: Vitor Soccol / SER Caxias,Divulgação

O jogo entre Caxias e Marcílio Dias, neste domingo (25), é marcado por detalhes. O confronto no Estádio Centenário, às 15h,válido pela 9ª rodada da Série D, coloca frente a frente equipes que têm semelhanças e proximidades em um campeonato que a cada rodada se mostra mais equilibrado.

 Leia mais
Lacerda celebra consistência do Caxias no empate contra o Novorizontino

Com os dois clubes empatados com 11 pontos, o Grená só está na frente do Marinheiro por um detalhe: o número de vitórias. Essa vantagem faz com que o time do técnico Rafael Lacerda siga na zona de classificação à próxima fase, em quarto no grupo A-8, enquanto os catarinenses ocupam uma posição abaixo na tabela.

— Estamos disputando um campeonato que é muito de igual para igual. Todos os times são muito parelhos.  Os detalhes muitas vezes que vão fazer a diferença. Futebol é assim. E a gente espera um jogo muito difícil, muito truncado. Tão difícil quanto foi lá em Santa Catarina. A gente sabe que é uma equipe que está brigando junto conosco pela classificação. Esperamos fazer o melhor — afirmou o goleiro Marcelo Pitol.

O equilíbrio entre Caxias e Marcílio Dias segue em outros números da Série D. Enquanto o  grená fez oito gols, os catarinenses marcaram apenas quatro. Porém,  a defesa do time gaúcho foi vazada oito vezes, enquanto o time de Itajaí levou apenas três gols. Com isso, a vantagem no saldo é pró-Marcílio — um positivo, contra zero do time de Lacerda.

Há menos de duas semanas, as duas equipes se enfrentaram em Santa Catarina, no dia 14 de outubro. Naquele confronto, Zé Vitor fez o gol da vitória do Marcílio Dias, no jogo considerado por Lacerda como "A pior partida do ano" do Caxias. Na entrevista ao final daquela derrota, o treinador grená reconheceu os méritos do rival:

— Mereceu a vitória. Talvez até poderia ser por um placar mais elástico. Mereciam. Principalmente pela apatia da nossa equipe. 

Para Pitol, realmente, a vantagem do time catarinense passou também por uma atuação abaixo do Caxias:

— O adversário foi muito bem, foi melhor e superior a nós.  No meu ponto de vista também.  Por não fazermos dentro do campo um jogo de igual para igual, desde a parte da marcação, técnica. A gente não se achou nesse jogo, não conseguimos impor o ritmo que fizemos na maioria dos jogos do ano. Isso às vezes acontece. São times muito próximos de nível técnico e tático. Têm dias que as coisas não acontecem. E naquele, não aconteceu.

Depois de cinco jogos sem vencer na Série D, sendo que destes duas derrotas no Centenário, o Caxias sabe que precisa reverter esse cenário para seguir buscando a classificação.

— É ruim perder em casa. A gente não quer. Tivemos duas derrotas em casa. Isso é ruim por um lado. Tivemos vitórias fora. Mas temos que fazer prevalecer, mesmo não tendo torcida, o fato casa. É entrar no próximo jogo como se nosso estádio tivesse 30 mil pessoas a nosso favor — concluiu Pitol.

Se o detalhe do domingo for favorável para o Caxias, o time pode terminar a rodada até na vice-liderança da chave. Um novo revés, porém, pode colocar em risco uma classificação para um clube que, por detalhes, ainda não saiu da Série D.

Leia também
Rádio Gaúcha Serra inicia série de entrevistas com candidatos a prefeito de Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros