Juventude e Cruzeiro se reencontram após 13 anos em confronto repleto de histórias - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Inédito na B14/10/2020 | 15h40Atualizada em 14/10/2020 | 15h40

Juventude e Cruzeiro se reencontram após 13 anos em confronto repleto de histórias

Primeira partida entre Papo e Raposa ocorreu há 25 anos

Juventude e Cruzeiro se reencontram após 13 anos em confronto repleto de histórias Porthus Junior / Agência RBS/Agência RBS
Renato Cajá (D) estava no Juventude na última vez em que clube enfrentou o Cruzeiro e estará em campo na sexta-feira (16) Foto: Porthus Junior / Agência RBS / Agência RBS

O Juventude entra em campo nesta sexta-feira (16) para encarar o Cruzeiro, no Estádio Mineirão, em um confronto com um fator de ineditismo. Será a primeira vez em que as duas equipes se encontrarão por um Campeonato Brasileiro da Série B. No entanto, o embate entre Papo e Raposa já tem mais de 25 anos de história.

Leia mais
"Às vezes, não é só o jogo bonito", afirma Cajá sobre característica da Série B

A primeira vez em que se encontraram foi em 20 de agosto de 1995, no Estádio Independência, em Belo Horizonte, no primeiro ano alviverde na Série A nacional. O duelo acabou empatado em 0 a 0. Como o formato do Brasileirão era diferente, este foi o único encontro daquele ano entre os dois times. 

O Juventude, comandado pelo técnico Heron Ferreira, começou o jogo com Marcio, Odair, Sandro, Paulo Marcelo e Paulo Sérgio; Galeano, Lauro, Edson, Cuca e Jean Carlo; Mário Maguila.

Primeiro triunfo

A primeira vitória alviverde, porém, só aconteceu oito anos depois, no 13º encontro entre as equipes. No ano em que o Cruzeiro foi arrasador no Brasileirão, o Juventude triunfou dentro do Mineirão. No dia 19 de outubro de 2003, pela 37ª rodada da Série A, o time comandado por José Luiz Plein conseguiu a virada sobre a seleção celeste treinada por Vanderlei Luxemburgo. O time mineiro perdeu apenas oito partidas das 46 disputadas naquele campeonato.

Maurinho, aos 32 minutos do primeiro tempo, abriu o placar para a Raposa. Três minutos depois, o zagueiro Neto empatou. A virada alviverde só ocorreu aos 40 do segundo tempo, com Léo Inácio decretando o 2 a 1. O Juventude entrou em campo com Márcio, Renato, Índio, Neto e Marcão; Evandro, Léo Inácio, Marcelo e Hugo; Donizete Amorim e Geufer.

Nos três últimos confrontos entre as equipes — todos pela Série A —, vitórias do Juventude. Em 2006, no Estádio Alfredo Jaconi, pela 23ª rodada, o alviverde era comandado por Ivo Wortmann e fez 2 a 0 no Cruzeiro, de Oswaldo Oliveira, com dois gols do centroavante Christian.

No ano seguinte — o último do Ju na elite —, triunfo no Mineirão, por 3 a 2, na 5ª rodada da Série A. Em 10 de setembro de 2007, com o comando de Flávio Campos, o Papo saiu atrás, com gol de Roni, aos 19 minutos do primeiro tempo. Beto empatou aos 37 minutos e Marcão virou aos 40 minutos. Aos 37 minutos do segundo tempo, o centroavante Eber fez o terceiro alviverde, enquanto Roni, aos 44, descontou para o Cruzeiro, então treinado por Dorival Júnior.

Última partida e remanescente

No dia 5 de setembro daquele mesmo ano, desta vez no Jaconi, pela 24ª rodada da Série A, o Juventude, já com Beto Almeida no comando, derrotou o Cruzeiro por 1 a 0, com gol do centroavante Tadeu. Naquele confronto, o Juventude foi a campo com Michel Alves, Régis, Leonardo Silva e Nunes; Barão, Vanzini, Júlio Cesar, Fábio Baiano, Renato Cajá e Zé Rodolpho; Tadeu. 

Do time que venceu pela última vez a Raposa, há um jogador no grupo atual do técnico Pintado. O meia Renato Cajá, hoje com 36 anos, chegou ao Juventude em 2007, vindo da Ferroviária-SP. O jogador falou sobre a diferença dele mesmo passados 13 anos da partida.

— A diferença é que era mais novo, né? (risos), 22 ou 23 anos. Um menino novo que estava chegando para sua primeira Série A da vida. Agora temos mais experiência. Mas a mesma vontade, a mesma dedicação  para que a gente possa fazer uma grande partida e sair vencedor — afirma o meia, relembrando o confronto de 2007:

— Naquele jogo eu não fiz gol, foi o Tadeu quem fez. Foi uma grande partida também, bati uma falta e foi na trave. O Fábio era o goleiro.

Com o Cruzeiro caindo pela primeira vez na temporada passada e o Juventude garantindo o acesso na Série C, o encontro se fará possível novamente. Com a mudança do calendário por conta da pandemia do coronavírus, o próximo encontro só deve ocorrer em janeiro de 2021.

Juventude x Cruzeiro

23 jogos oficiais (18 pela Série A, 2 pela Copa Sul-Americana e 3 pela Copa Sul-Minas)
6 vitórias do Juventude
12 vitórias do Cruzeiro
5 empates
17 gols marcados pelo Juventude
33 gols marcados pelo Cruzeiro

Leia também
Respirador criado em Caxias do Sul recebe autorização da Anvisa para ser produzido 


 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
Imprimir
clicRBS
Nova busca - outros