Com auxiliar argentino, KTO/Caxias Basquete divulga comissão técnica para temporada - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

NBB22/09/2020 | 16h39Atualizada em 22/09/2020 | 16h39

Com auxiliar argentino, KTO/Caxias Basquete divulga comissão técnica para temporada

Grupo terá divisão de funções no trabalho do dia a dia com atletas

Com auxiliar argentino, KTO/Caxias Basquete divulga comissão técnica para temporada Estudiantes / Divulgação/Divulgação
Eduardo Chiche traz experiência do basquete argentino para Caxias do Sul Foto: Estudiantes / Divulgação / Divulgação

O KTO/Caxias do Sul Basquete confirmou a comissão técnica que comandará a equipe durante o Novo Basquete Brasil (NBB) na temporada 2020/2021. Com dois remanescentes e duas novidades, a gestão do vestiário terá um auxiliar argentino como novidade.

Leia mais
KTO/Caxias Basquete confirma mais um reforço para NBB 2020/2021

Rodrigo Barbosa, um dos idealizadores do projeto desde o início, segue como técnico do time. Além dele, permanece no time o auxiliar-técnico Léo Gomes, que foi atleta do Caxias Basquete e faz parte da comissão da equipe antes mesmo da chegada na elite do basquete nacional.

Os outros dois nomes são novidades. O gaúcho Antonio Fernando Krebs Junior, o Pitú, de 58 anos, foi jogador de várias equipes do basquete gaúcho e nacional, como a Sogipa, na década de 1990, além de passagens por Alemanha e Chile.

O outro contratado, também com rodagem internacional, é o argentino Eduardo Jápez, o Chiche, de 53 anos. Além de ter sido técnico de vários times na liga argentina de basquete, uma das mais fortes do mundo, Chiche também comandou diversas categorias das seleções de base da Argentina e foi integrante da comissão técnica permanente do time principal do país vizinho ao Brasil.

Segundo Rodrigo Barbosa, a divisão entre os três auxiliares será feita da melhor maneira para que o trio seja abrangente em todas as necessidades do time.

— O Léo fará toda a parte de condicionamento dos jogadores, na parte física e na técnica individual. O Pitú, no lado técnico e tático, mas também no relacionamento do dia a dia dos atletas, que é muito importante para o crescimento da equipe. E o Chiche na parte técnica e tática da construção de jogo, da forma de encarar cada adversário. Todas essas informações vêm para mim e tomamos as decisões baseadas em tudo isso aí — afirmou Barbosa.

Leia também
Após seis meses, Caxias do Sul terá o primeiro júri na pandemia

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros