Preparador físico caxiense comenta retorno do futebol tailandês durante a pandemia - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Volta do Esporte04/08/2020 | 16h49Atualizada em 04/08/2020 | 16h49

Preparador físico caxiense comenta retorno do futebol tailandês durante a pandemia

Competições recomeçam somente em setembro e equipes continuam treinamentos

Preparador físico caxiense comenta retorno do futebol tailandês durante a pandemia Bangkok United/Divulgação
Squinalli (C) está no futebol Tailandês desde o final do ano passado Foto: Bangkok United / Divulgação

O preparador físico caxiense Rodrigo Squinalli está trabalhando na Tailândia.  Ele deixou o Juventude em dezembro do ano passado para trabalhar no Bangkok United. Atualmente, o futebol tailandês está no período de preparação para a retomada da competições, que recomeçam no dia 12 de setembro. 

Leia Mais
Na semana de estreia da Série B, capitão do Juventude testa positivo para o coronavírus
Em busca de sequência, atacante do Juventude trata estreia na Série B como final

Os times estão há sete sememas realizando treinamentos e terão mais seis ainda até o recomeço da temporada. Assim, a Tailândia adere ao calendário europeu e finaliza as competições somente em maio de 2021. 

- Está bem longa essa pré-temporada. Só é menor que uma que eu fiz no Juventude, em 2010 para 2011, que foram 100 dias de preparação. Foi a maior que eu tinha feito, mas essa está bem perto -  disse o preparador em entrevista ao Show dos Esportes na Rádio Gaúcha Serra.

No futebol asiático, já retornaram os campeonatos da China, sem torcida, Coreia, com mil pessoas por estádio, e o Japão, ainda sem público. O próximo deve ser o campeonato Tailandês, país que apresenta números baixos durante a pandemia. Com população de aproximadamente 70 milhões de habitantes, até o momento foram confirmadas 58 mortes por covid-19. Existe, inclusive, a possibilidade de retornar os jogos com público, mas o tema ainda não está definido. 

- A Tailândia faz dois meses que não tem um caso de coronavírus interno, cidadãos do país. Estão tendo muitos casos importados. Na Tailândia não se pode entrar se não for de voo fretado ou de voo de repatriamento, não tem voo comercial.  O Governo precisa aprovar o itinerário - revelou Squinalli, que enfrentou dificuldades para retornar ao país:

- Foram quase dois meses tentando voltar para a Tailândia. Era pra eu ter voltado em final de maio e estamos entrando em agosto. Foi bem difícil. Teve uma hora que liguei pro treinador e disse pra contratar outro preparador. Graças a Deus, deu tudo certo. 

O país passou por um fechamento total de três meses, controlou a pandemia, mas não deixa de seguir tomando todos os cuidados. Mesmo com todas as flexibilizações e reabertura da economia, a Tailândia continua com os protocolos de segurança.

- Está um novo normal. Aqui, desde que apareceu o vírus, como eles controlaram bem, eles mantiveram todos os protocolos. Eles estão na sexta fase de afrouxamento das medidas. A temperatura é aferida em todos os estabelecimentos, todo mundo usa máscara, que já é normal na Ásia - finalizou o profissional. 

Ouça o programa e a entrevista na íntegra

Leia Também
Especialista de Caxias explica como funciona processo judicial para obter a cidadania italiana
Moradora mais velha de Nova Roma do Sul, que contraiu covid-19 aos 99 anos, está recuperada

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros