Como estavam e o que esperam os times da Serra no retorno do Gauchão - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Retomada13/07/2020 | 18h10Atualizada em 14/07/2020 | 08h51

Como estavam e o que esperam os times da Serra no retorno do Gauchão

Caxias, Juventude e Esportivo têm objetivos diferentes na competição estadual

Como estavam e o que esperam os times da Serra no retorno do Gauchão Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O Campeonato Gaúcho será retomado na próxima semana para o complemento das três rodadas que faltam na fase de grupos da Taça Francisco Novelletto Neto, além da fase final do segundo turno. O trio de serranos na disputa do Gauchão com objetivos distintos neste retorno de competição e com preparações diferentes para uma semana que pode decidir o futuro no Estadual e também na preparação para o resto da temporada 2020 — e que só vai acabar em 2021.

Leia mais
Dupla Ca-Ju define planejamento para retomar treinamentos coletivos

Caxias e o sonho do título

Só um clube dos 12 que iniciaram o Gauchão tem certeza de que estará na final. O Caxias venceu a Taça Cel. Ewaldo Poeta e mudou a escrita da última vez em que ganhou o primeiro turno do Estadual. Em 2012, o grená, que tinha o hoje técnico Lacerda como zagueiro, conquistou a Taça Piratini e praticamente abandonou o segundo turno da competição. A mudança de comportamento naquele momento foi tão gritante, que nem mesmo Paulo Porto, treinador que conduziu o time ao triunfo na primeira parte do campeonato, chegou na decisão. Na final, comandado por Mauro Ovelha, o Caxias ficou com o vice estadual após perder para o Inter.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (15/03/2020)3a Rodada do Campeonato Gaúcho. Jogo entre Ser Caxias e Novo Hamburgo a portas fechadas no Estádio Centenário. (Antonio Valiente/Agência RBS)<!-- NICAID(14452191) -->
Atacante Tilica era uma das peças-chave do time de Lacerda antes da paradaFoto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Pois em 2020, após vencer o Grêmio por 1 a 0 na  decisão do primeiro turno, o grená manteve o embalo. Nas três rodadas iniciais da Taça Novelletto empatou em casa, contra o Inter, por 1 a 1, e venceu por 2 a 1 São Luiz, em Ijuí, e o Novo Hamburgo, no Centenário, no longínquo 15 de março. O time soma 7 pontos e ocupa a segunda colocação do grupo B.

Na retomada, caso se confirme a manutenção da tabela inicial, terá dois clubes que estavam brigando contra o rebaixamento antes da parada. Logo de cara pega o Juventude, no Jaconi, em um clássico sem torcida na casa do rival. Depois, no Centenário, recebe o Pelotas. Como não haverá descenso para a Divisão de Acesso, as duas equipes mudaram bastante o grupo de atletas e devem enfrentar dificuldades contra o sólido Caxias, que manteve sua base.

No encerramento da fase, pega o Ypiranga, na Montanha dos Vinhedos. O principal objetivo grená é chegar novamente na semifinal do returno para tentar novamente o título, o que encerraria o Gauchão sem a necessidade de uma finalíssima.

— O Caxias não apresenta nenhuma grande novidade no grupo para essa retomada, e esse pode ser considerado o principal trunfo. De olho no título gaúcho, a equipe do técnico Lacerda não teve o mesmo período de preparação física que a dupla Gre-Nal, mas se conhece bem, é entrosada. Com todas as peculiaridades dessa retomada, isso pode ser um fator preponderante — afirma o editor de esportes do Pioneiro e comentarista da Rádio Gaúcha Serra, Maurício Reolon.

Entre o término do Gauchão e o início da Série D, o Caxias terá cerca de um mês e meio. Até por isso, Reolon acredita que seja possível conciliar os dois objetivos neste momento:

— Por mais que o acesso na Série D seja o grande desejo do torcedor grená, coroar a grande campanha do primeiro trimestre com um título seria sensacional pensando no futuro do clube, a médio e longo prazo. Tanto na questão financeira como na confiança para a sequência de 2020 e 2021.

Juventude e a preparação para a Série B

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 08/02/2020Juventude 0  X 0  Ypiranga pela última rodada do primeiro turno do Gauchão 2020, no estádio Alfredo Jaconi.(Lucas Amorelli/Agência RBS)<!-- NICAID(14413100) -->
Atacante Bruno Alves é um dos remanescentes no time do Juventude, agora comandado por PintadoFoto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A direção do Juventude garante que o time não tratará os três jogos que faltam como amistoso. Porém, a série de partidas com característica de clássico na reta final do returno é uma preparação forte para o Campeonato Brasileiro da Série B. O time parou com Marquinhos Santos, após empate em 0 a 0 contra o Aimoré, em São Leopoldo, e retornará com Pintado no comando técnico. Além disso, mostrará ao torcedor um time que foi reformulado pensando na competição nacional.

Com o Ca-Ju na arrancada, em casa, o nível de competitividade do grupo alviverde precisará ser elevado rapidamente. Na quinta rodada, um clássico estadual, contra o Brasil-Pel, no Estádio do Vale, será também prévia para a Série B, já que a equipe pelotense também pensa mais na preparação para o nacional do que propriamente no Gauchão. Por fim, novamente no Jaconi, o Papo encara o Esportivo. 

A campanha antes da parada era muito fraca no returno. Antes do ponto conquistado em São Leopoldo, o alviverde somava duas derrotas: 3 a 0 para o Grêmio, em Porto Alegre, e 1 x0 para o São José-PoA, em pleno Jaconi.

— É quase um novo time. Ou melhor, uma nova ideia a partir da chegada do Pintado e dos reforços para a Série B. O foco alviverde sempre foi claro na competição nacional e, por conta da pandemia, essa situação ficou ainda mais evidente. Sem qualquer risco de rebaixamento no Estadual, o time poderá testar novas formações nesta reta final do segundo turno e, quem sabe, até vislumbrar uma vaga no mata-mata — avalia Reolon.

Na tabela do grupo A, o Juventude aparece em quatro lugar. Porém, como o Novo Hamburgo, segundo colocado, soma apenas três pontos, não é impossível uma classificação alviverde para a semifinal da Taça Novelletto.

Ainda assim, segundo o comentarista do grupo RBS Serra, avançar no Estadual não é prioridade no Jaconi:

— A Segunda Divisão e a Copa do Brasil, na qual o Ju também segue vivo e terá um confronto decisivo no final de agosto, são as principais fontes de receita e também as possibilidades mais concretas de algo melhor para o futuro próximo. Quanto ao time, fica a curiosidade em saber como as novas peças se encaixam neste novo Juventude. 

Esportivo e o sonho da Série D

 Esportivo venceu o Pelotas por 2 a 1 e segue com grande campanha no Gauchão 2020.<!-- NICAID(14452239) -->
Antes mascarado, centroavante Flávio Torres ganhou vaga no time titular de Carlos MoraesFoto: Kévin Sganzerla / NB,Divulgação

No ano de retorno à elite do Gauchão, o Esportivo vinha em busca de algumas metas até a parada por conta da pandemia do novo coronavírus. Primeiro, garantiu  o lugar no Gauchão de 2021 dentro de campo, antes da decisão de não rebaixar ninguém na atual edição. Agora, os dois objetivos que se apresentam para o alviazul podem colocar o time de Bento Gonçalves de volta ao cenário nacional: o título do interior e a classificação à Série D.

Conquistar o primeiro, garante diretamente a segunda. Na classificação geral do Gauchão, o Tivo tem 14 pontos — três a mais que o Aimoré, o primeiro time que não tem vaga garantida na Série D, e oito a mais que o Novo Hamburgo - o segundo.

Na reta inicial do returno, fez valer o fator local. Venceu na Montanha dos Vinhedos o São Luiz, por 1 a 0, e o Pelotas, por 2 a 1. Fora de casa, perdeu para o Novo Hamburgo, na segunda rodada, por 2 a 1.

Para garantir o título do interior e o retorno às competições nacionais _ uma vaga na Copa do Brasil pode surgir também no caminho alviazul _ serão três confrontos: Ypiranga, no Centenário, Inter, em Bento Gonçalves, e Juventude, no Jaconi.

O grande trunfo da equipe do técnico Carlos Moraes para buscar esses objetivos está na manutenção da base. Durante a parada, apenas os volantes Lucas Hulk e Washington deixaram a equipe.

— O Esportivo conseguiu manter praticamente todo o elenco para esse retorno. A equipe alviazul vinha surpreendendo e protagonizando atuações consistentes, sobretudo dentro de casa. A missão principal do clube agora é alcançar o título do interior e as vagas para as competições nacionais de 2021. Mas, para isso, o Carlos Moraes terá que encarar dois desafios pela frente: o curto período de preparação e os complicados confrontos que estão no seu horizonte — avalia o repórter do Portal NB, Kevin Sganzerla.

Pela frente, equipes que estão nas três principais divisões do futebol nacional. Se mantiver o embalo antes da parada, a chance do Tivo em fazer história em 2020 aumenta muito.

— Resta saber se o Esportivo vai conseguir se aproximar ao que apresentou no Gauchão antes da paralisação para fazer frente aos adversários de série A, B e C do Brasileirão, respectivamente. A reta final do estadual tem muita importância para o alviazul, uma vez que está em jogo o título do interior, o qual o clube não conquista há 33 anos — conclui Sganzerla.

Leia também
Governo do Estado confirma Serra Gaúcha na bandeira vermelha 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros