Intervalo: a insensatez e a irresponsabilidade do futebol carioca - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Opinião29/06/2020 | 06h15Atualizada em 29/06/2020 | 06h15

Intervalo: a insensatez e a irresponsabilidade do futebol carioca

Presença de público, a partir do dia 10, beira à crueldade

Intervalo: a insensatez e a irresponsabilidade do futebol carioca André Fabiano/Código 19/Folhapress
Foto: André Fabiano / Código 19/Folhapress

O Brasil não tratou a pandemia da maneira que deveria. Isso é notório. Agora, o Rio de Janeiro tem superado qualquer limite de sanidade e coerência. Primeiro, com a volta do futebol no estado que apresenta números muito negativos em relação à covid-19. 

Leia Mais
Governo do Estado afirma que análise para volta do Gauchão não está concluída 

Agora, com a liberação de público, mesmo que seja um terço dos estádios, a partir do dia 10, beira à irresponsabilidade e brinca com a crueldade. Os principais países do mundo, que trataram a doença da forma mais cuidadosa possível, ainda não retornam com torcida. Então, por que o Rio de Janeiro fará isso? É revoltante. Espero que os órgãos de saúde impeçam essa insensatez.

A volta do futebol no Rio de Janeiro transmite a ideia de uma falsa volta à normalidade. O retorno dos torcedores aos estádios potencializa essa ideia mentirosa. A pandemia ainda não está controlada. O futebol carioca precisa entender isso. Essa pressão desenfreada, insensível e irresponsável custará um preço muito alto. 

Leia Também
Como foi o primeiro domingo do novo decreto em Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros