Intervalo: volta do futebol pode causar falsa normalidade - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Opinião05/05/2020 | 06h22Atualizada em 05/05/2020 | 06h22

Intervalo: volta do futebol pode causar falsa normalidade

O esporte pode esperar mais um pouco, a saúde não

Intervalo: volta do futebol pode causar falsa normalidade Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

Quem sou eu para determinar se é certo ou errado o retorno do futebol em meio à pandemia? Nem tenho essa pretensão de definir algo, porque não sou da área da saúde, mas ouço os especialistas e tenho o meu posicionamento. Acredito que ainda não é o momento ideal para a volta do esporte mais popular do país e explico os motivos.

Leia Mais
O futebol deve voltar ou não? Saiba o que pensam os jogadores de Caxias e Juventude

Primeiro, o cenário da covid-19 em cada Estado é diferente e isso prejudica um possível recomeço do futebol com as competições nacionais como o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil.  Dessa forma, não há porque apressar o retorno dos Estaduais, sem saber quando poderemos ter partidas pelo Brasil inteiro. 

O segundo motivo seria aumentar a falsa sensação de normalidade, porque o futebol tem esse poder. Com a flexibilização em outras áreas, isso já acontece e pode piorar. Basta andarmos pelas ruas ou acompanharmos as redes sociais e percebemos, muitas vezes, um esquecimento das pessoas em seguir determinações dos órgãos de saúde. Um retorno do futebol, agora, pode colaborar a incentivar esse sentimento falso de que voltamos à normalidade no cotidiano.

Por fim, os grandes clubes estão comprando testes para utilizar em seus profissionais. Os mesmos poderiam realizar essa compra e doar para que fossem utilizados por profissionais da saúde em vários locais com dificuldade, assim como ajudar a comprar equipamentos de proteção individual. O futebol pode ajudar e esperar mais um pouco, a saúde não consegue aguardar. 

Entendo que muitos trabalhadores dependem do futebol, sejam jogadores, comissões técnicas, funcionários dos clubes, e até nós, jornalistas, sem contar os empregos indiretos. No entanto, acredito que ainda podemos aguardar mais um pouco e não apressar esse retorno, que mais parece uma pressão política do que qualquer outra coisa. 

Leia Também
Como foi primeiro dia de uso obrigatório de máscaras em Caxias do Sul


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros