Intervalo: Situação do Juventude requer medidas fortes e rápidas para evitar rebaixamento histórico - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Opinião08/03/2020 | 20h56Atualizada em 08/03/2020 | 20h56

Intervalo: Situação do Juventude requer medidas fortes e rápidas para evitar rebaixamento histórico

Equipe alviverde tem quatro partidas para sair do Z-2 do Estadual

Intervalo: Situação do Juventude requer medidas fortes e rápidas para evitar rebaixamento histórico Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Não dá para adiar
Na zona de rebaixamento e podendo encerrar a rodada como lanterna na classificação geral do Gauchão, o Juventude precisa encontrar respostas rápidas. O jogo diante do São José, no sábado, era considerado fundamental para as pretensões alviverdes no Estadual e até mesmo na Copa do Brasil. Deu tudo errado.

Leia Mais
Clássico Ca-Ju da quarta rodada tem data e horário alterados
Juventude entra na zona de rebaixamento e pode acabar a rodada na lanterna do Gauchão

O que se viu, mais uma vez, foi um time lento, com pouca criação e abusando de lançamentos longos. Até não falta vontade, mas a equipe carece de intensidade. E aí são situações distintas. O time corre, briga, mas fica com a marcação de longe, não sufoca o rival na saída de jogo e tampouco rouba bolas no campo de ataque. 

O modelo posicional adotado por Marquinhos Santos deixa em 2020 o Juventude previsível e dependente única e exclusivamente da individualidade de Bruno Alves e Iago Dias. No jogo contra o Zequinha, as únicas chances de gol foram criadas pelos lados de campo e cruzamentos para a área. Muito pouco.

É preciso rever a estratégia, a parte tática da equipe e, dentro do possível, mudar as peças que mais estão sentindo o momento. Para evitar o pior, não há tempo a perder.

 CAXIAS DO Sul, RS, BRASIL, 07/03/2020. Juventude x São José-PoA, jogo válido pela segunda rodada da Taça Francisco Novelletto Neto, segundo turno do Campeonato Gaúcho (Gauchão 2020), realizado no estádio Alfredo Jaconi. (Porthus Junior/Agência RBS)<!-- NICAID(14443918) -->
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Sem mudar
Sou favorável a dar tempo de trabalho aos treinadores, especialmente em inícios de temporada. No caso do Juventude, uma troca agora poderia mais prejudicar do que trazer algo novo em tão curto espaço de tempo, sem brechas para treinamentos.

Porém, é preciso deixar claro que Marquinhos Santos precisa mudar. Não dá para ficar refém de um estilo de jogo.  

Quanto a sábado, ainda não consigo entender o motivo de escolher Caíque Valdívia e não Renato Cajá, no intervalo.

Copa do Brasil
A partida de quarta-feira, pela Copa do Brasil, pode significar muito neste processo de retomada. Um novo revés tornaria o ambiente ainda mais caótico e pressionado. Por outro lado, a competição de mata-mata costuma trazer momentos positivos ao Juventude na história recente. E pode dar um respiro na conturbada relação entre time e torcida.

É um momento para se apegar em qualquer detalhe. Porém, o principal é a resposta da equipe dentro de campo, com mais determinação.

Leia Também
Em duelo de concentração e motivação, Caxias enfrenta o São Luiz


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros