Caxias e gerente serão denunciados no STJD por agressão ao árbitro em partida contra o Botafogo - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Tribunal06/02/2020 | 16h03Atualizada em 06/02/2020 | 17h05

Caxias e gerente serão denunciados no STJD por agressão ao árbitro em partida contra o Botafogo

Além do clube e do funcionário, outros membros da equipe grená também podem ser punidos

Caxias e gerente serão denunciados no STJD por agressão ao árbitro em partida contra o Botafogo Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O Caxias terá de se defender no STJD pela agressão de seu gerente administrativo, Diogo Aver, ao árbitro Lucas Caneto Bellote, no jogo entre Caxias x Botafogo, pela primeira fase da Copa do Brasil. A informação foi confirmada pelo Procurador Geral do tribunal desportivo, Felipe Bevilacqua.

Leia mais
Caxias questiona atuação e repudia agressão ao árbitro em partida contra o Botafogo 

A procuradoria do STJD está reunindo as imagens do episódio e com a súmula publicada irá elencar todos os envolvidos.

Por "deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir desordens em sua praça de desporto", o Caxias pode ser multado entre R$ 100 a R$ 100 mil. Conforme o artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD),  "a comprovação da identificação e detenção dos autores da desordem, invasão ou lançamento de objetos, com apresentação à autoridade policial competente e registro de boletim de ocorrência contemporâneo ao evento, exime a entidade de responsabilidade, sendo também admissíveis outros meios de prova suficientes para demonstrar a inexistência de responsabilidade". 

O funcionário grená, Diogo Aver, flagrado agredindo o árbitro ao final da partida, deve ser denunciado no artigo 254-A do CBJD, que fala sobre praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente. Conforme o 3º parágrafo do artigo, que fala sobre ações contra a arbitragem, a pena mínima será de suspensão por 180 dias.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 05/02/2020. SER Caxias x Botafogo-RJ, jogo válido pela primeira fase da Copa do Brasil 2020 e relizado no estádio Centenário. (Porthus Junior/Agência RBS)
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Em entrevista ao blog Lei em Campo, do portal Uol, o presidente da comissão de direito desportivo da OAB-RJ, Marcelo Jucá, comentou que existe a possibilidade do profissional ser suspenso preventivamente: 

— Condutas como a desse cidadão devem ser punidas com extremo rigor. Entendo, inclusive, poder ser aplicada a suspensão preventiva de que trata o artigo 35 do CBJD. Agressão a árbitros são inadmissíveis em qualquer modalidade. Que a família desse senhor tenha conforto, pois ver o pai, marido ou companheiro em cenas explícitas de violência gratuita é lamentável e causa constrangimento no meio social — disse Marcelo Jucá. 

Além do clube e do funcionário, outros membros da equipe grená também podem ser punidos — o auxiliar-técnico Jefferson Ribeiro, por supostamente se comunicar por rádio com o técnico Rafael Lacerda, suspenso, e os atletas que receberam cartão vermelho ao final da partida, como Marcelo Pitol, Juninho Potiguar e Da Silva.

Outro ponto que poderá pesar contra o Caxias é a reincidência. Nas últimas duas temporadas, houve confusão nas eliminações da Série D para o Treze-PB, em 2018, e para o Manaus, em 2019.

Leia também
Intervalo: O Caxias merecia uma sorte melhor após a grande atuação diante do Botafogo
Galeria de fotos: confira imagens do empate em 1 a 1 entre Caxias e Botafogo 



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros