Caxias do Sul reúne esforços para sediar a Surdolimpíada de 2021 - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Inclusão17/01/2020 | 21h21Atualizada em 17/01/2020 | 21h21

Caxias do Sul reúne esforços para sediar a Surdolimpíada de 2021

Poder público e entidades se mobilizam para viabilizar competição internacional na cidade

Caxias do Sul reúne esforços para sediar a Surdolimpíada de 2021 Clever Moreira / Divulgação/Divulgação
Foto: Clever Moreira / Divulgação / Divulgação
Pioneiro
Pioneiro

Caxias do Sul está trabalhando para sediar a Surdolimpíada 2021. Um passo importante foi dado nesta sexta-feira (17). Em reunião no Centro Administrativo, a Prefeitura Municipal, a Universidade de Caxias do Sul (UCS), o International Committee of Sport for the Deaf  (ICSD) e o Caxias Convention & Visitors Bureau definiram ações para tentar receber o evento esportivo que envolverá 6 mil atletas, de 100 países, em 21 modalidades.

Leia Mais
Conheça o pensamento do novo Secretário do Esporte e Lazer de Caxias do Sul

Há um ano em tratativas sobre a competição, a UCS e o ICSD agora ganharam apoio do Poder Executivo. O prefeito Flávio Cassina designou o secretário de Esportes e Lazer, Gabriel Citton, para fazer um projeto de captação de recursos financeiros junto ao Governo Federal. A Prefeitura também buscará suporte do Governo do Estado. 

— Não podemos perder um evento dessa grandeza e de relevância na área do esporte, da inclusão social, mas que também movimenta o comércio e turismo. Temos tempo para juntos fazermos um belo trabalho — disse Cassina.

O reitor da UCS, Evaldo Kuiava, e o vice-presidente do ICSD, Gustavo Perazzolo, já vinham trabalhando junto a autoridades brasileiras e estrangeiras, além de potenciais patrocinadores. Além da Vila Olímpica da UCS, o plano é que as provas também ocorram no ginásio e nas pistas de atletismo do SESI e nas piscinas Recreio da Juventude.

O presidente do Caxias Convention & Visitors Bureau, Valmir Francisco dos Santos se comprometeu a mobilizar a rede hoteleira e outros prestadores de serviços ligados ao turismo para receber os milhares de atletas e o público. O dirigente sugeriu que a primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, ativista de inclusão social, seja convidada para ser a patrona da competição. A Surdolimpíada ocorrerá em dezembro de 2021.

Leia Também
Baixinho revelação da Copa São assina contrato profissional com o Juventude

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros