Promessa no judô, caxiense empilha conquistas neste ano  - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 
 

Atleta mirim29/11/2019 | 06h30Atualizada em 29/11/2019 | 06h30

Promessa no judô, caxiense empilha conquistas neste ano 

Carolina Marcon é judoca desde os cinco anos e, em 2019, conquistou medalha de ouro na maior competição estudantil do Brasil  

Promessa no judô, caxiense empilha conquistas neste ano  Antonio Valiente/Agencia RBS
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

—  Eu fazia ginástica. Então, como sempre passava pelo judô, comecei a ter vontade de praticar.  

Foi assim que Carolina Cruz Marcon, à época com cinco anos, apaixonou-se pela modalidade. Os pais tinham um pouco de receio, por não ter conhecimento aprofundado sobre o esporte. Mas, como era o desejo da menina, eles não só deixaram que ela virasse judoca, como também entraram nessa realidade. Hoje, com 12 anos, Carol dedica-se ao máximo para se destacar e, claro, divertir-se. 

 Leia mais:
Judoca caxiense fatura medalha de ouro na etapa nacional dos Jogos Escolares da Juventude Caxienses vão representar a Equipe Kuse Dojô na maior competição estudantil do Brasil 
Judoca caxiense leva o bronze em campeonato brasileiro sub-13
Equipe Kuse Dojô conquista dois ouros no Estadual e Super Copa Porto Alegre de Judô 

— Meus pais achavam que era muito violento, mas eu comecei a fazer umas aulas testes e gostei. Depois de um tempo, meus pais e minha irmã também começaram a praticar judô. A família toda vai — conta, entusiasmada, a menina. 

A última conquista da caxiense foi a medalha de ouro nos Jogos Escolares da Juventude. Além disso, durante o ano, Carolina conquistou 10 etapas do circuito estadual classe sub-13, foi campeã estadual sub-13, campeã da Copa Minas Tenis Clube Interclubes sub-13, bi-campeã do Meeting Sul-Brasileiro Interclubes sub-13, vice-campeã do Sul-Brasileiro sub-13 e conquistou a terceira colocação no Brasileiro sub-13. Mesmo com a pouco altura e o rosto angelical, ela tem utilizado um artifício que, junto com todo o treino e a determinação, vem dando resultado. 

 — Faço cara feia, para dar medo nas adversárias. Nos Jogos Escolares da Juventude, eu falei para o sensei que queria ganhar. Então, na hora que a outra competidora me derrubou, eu consegui virar e isso só aconteceu porque eu queria muito conquistar a medalha de ouro — orgulha-se. 

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL (25/11/2019)Carolina Cruz Marcon, de 12 anos, foi campeã de judô, na categoria dos 12 aos 14 anos, nos Jogos Escolares da Juventude de 2019. Ela representa a escola Kuse Dojô, do professor Miguel Kuse e é promessa na modalidade. (Antonio Valiente/Agência RBS)
Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

Para o professor Miguel Kuse, que acompanha a menina há sete anos, o empenho de Carol ao buscar seus objetivos é a chave do sucesso. 

— A Carol, desde o início, se mostrou uma menina muito dedicada e disciplinada, o que sempre acaba por facilitar o trabalho do professor, e também acaba facilitando para ela, na hora de alcançar os objetivos dentro do judô - conta o técnico. 

A rotina de treinamentos dela é como a de um adulto. Durante a semana, Carol treina sete vezes, na Kuse Dojô, mas não leva isso como obrigação. Divertimento é a palavra que define a sua rotina. 

— Eu gosto de treinar, porque eu fiz muitas amizades aqui. Durante a semana, tenho aula de manhã, almoço e venho para cá. Já nas terças, quintas e sextas é melhor, porque os treinamentos são à noite. 

Para o futuro, as projeções são as melhores possíveis. Como toda criança, Carol sonha. E, no seu caso, também busca realizá-los:

— Quando crescer, vou querer ser judoca. Ir para as Olimpíadas e tudo mais. Depois, quando eu me aposentar, vou querer ser da indústria farmacêutica.

Leia também:
Atleta caxiense bate recorde sul-americano de highline
Com 16 atletas, Juventude inicia período de pré-temporada

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros