Ex-jogadores e integrantes do grupo campeão da Série B se  reencontram no Alfredo Jaconi  - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

25 anos depois30/11/2019 | 11h33Atualizada em 30/11/2019 | 11h34

Ex-jogadores e integrantes do grupo campeão da Série B se  reencontram no Alfredo Jaconi 

Capitão na conquista, Odair Patriarca voltou a erguer a taça da Segunda Divisão

Ex-jogadores e integrantes do grupo campeão da Série B se  reencontram no Alfredo Jaconi  Maurício Reolon/Agência RBS
Foto: Maurício Reolon / Agência RBS

A manhã deste sábado foi marcada por reencontros e celebrações no Estádio Alfredo Jaconi. Ex-jogadores, dirigentes e integrantes do staff do Juventude no título da Série B de 1994 reuniram-se para comemorar os 25 anos da conquista.

Leia Mais
Jogadores do Ju campeões da Série B de 1994 se reúnem neste fim de semana em Caxias
Reforço do Juventude reprova nos exames médicos e não começa temporada no Jaconi

No Jaconi,  14 atletas que estavam no elenco alviverde puderam reviver momentos da conquista e reencontrar ex-companheiros. Humberto, Isoton, Itaqui, Odair Patriarca, Baggio, Paulo Marcelo, Paulo Sérgio, Edson, Dorival Júnior, Ortunho, Jardel, Lauro, Ericson e Sandro Blum marcaram presença, além de profissionais da comissão técnica e dirigentes da época. Cerca de 50 torcedores também marcaram presença, com pedidos de fotos e autógrafos aos campeões.

Hoje com 53 anos, o ex-lateral-esquerdo Paulo Sérgio trouxe o filho para Caxias do Sul e relembrou passagens marcantes que teve com a camisa alviverde.

— Estava aqui falando com o Edson (Kaspary, ex-lateral-esquerdo). Voltam os acontecimentos. Me lembrei muito do jogo da final contra o Goiás. Lembrei da final do Gauchão de 1996, contra o Grêmio, no qual sofremos um gol de falta. Num lance que errei lá na frente, fui tentar a recuperação e acabei fazendo a falta na frente da nossa área e saiu o gol. Volta tudo. Os próprios atletas, muitos faziam 25 anos que não via. A gente conversa por whatsapp, mas não é a mesma coisa — comentou.

Sandro Blum, 49 anos, era um dos zagueiros daquele grupo vitorioso e também valorizou a oportunidade de estar ao lado dos ex-colegas de clube:

— É um reencontro que começou pelo whatsapp e foi ganhando corpo. Partiu do Isoton, que organizou esse momento, e é o grande responsável. É muito importante rever amigos e isso que nos faz ter a alegria do futebol. São as lembranças. Muitos que fizeram parte não estão mais aqui, como é o caso do Zico (mordomo), que era um grande escudeiro da gente. É uma lembrança que não se apagou e está na memória de todos.

O atual técnico Dorival Júnior, 57 anos, em 1994 era o volante Júnior, que assim como Paulo Sérgio e Sandro Blum veio ao Juventude por meio da parceria com a Parmalat. Era um dos atletas experientes que foi contratado para reforçar o elenco, repleto de garotos oriundos da base alviverde:

— Fico muito feliz em estar voltando aqui hoje. Estava hospedado em Gramado e as nossas pré-temporadas foram feitas em Nova Petrópolis. A história começou a passar, desde o caminho de lá até aqui no Jaconi. Todas as situações e o quanto aquilo foi bom para esse grupo, que foi em busca de um objetivo, muito importante para o Juventude. A maioria do grupo era formado por garotos e nós, mais experientes, tínhamos a obrigação de fazer o melhor para que eles conquistassem o seu espaço. E agora acontecendo. Muitos saíram para outros clubes e o Juventude construiu uma bela história naquele ano — relembra Dorival.

Após o encontro no Alfredo Jaconi, a confraternização teve sequência com uma partida de futebol 7 e almoço, na sede de uma empresa.

Leia Também
Torcida do Caxias arrecada utensílios para famílias que perderam tudo em incêndio


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros