O que muda para o Caxias com o novo formato da Série D - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

 Novidade04/10/2019 | 05h00Atualizada em 04/10/2019 | 05h00

O que muda para o Caxias com o novo formato da Série D

Competição terá grupos maiores e mais jogos na primeira fase

O que muda para o Caxias com o novo formato da Série D Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

O calendário divulgado nesta quinta-feira (3) pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) muda todo o pensamento do Caxias para 2020. A principal competição no planejamento grená na próxima temporada, o Brasileiro da Série D, teve sua fórmula alterada. 

A partir do ano que vem, serão mais jogos na fase de grupos. E o sonho do acesso, que até 2019 estava na 12ª partida do campeonato, vai para o 20º duelo do torneio. É garantia de um tempo maior de futebol no Centenário em uma Quarta Divisão que vai até o mês de novembro.

Enquanto as Séries A, B e C têm como grande novidade a parada dos campeonatos nas datas Fifa, com jogos da Seleção Brasileira, a Série D viverá uma revolução em 2020. Seguem 68 participantes, mas o modelo de disputa será diferente. Enquanto 60 equipes vão direto à fase de grupos, oito times disputarão um mata-mata, onde os quatro vencedores se garantem na etapa principal. 

Leia mais
CBF divulga calendário de 2020 com mudanças na fórmula de disputa da Série D
Ingressos para Caxias e São José estão à venda 

A partir daí, os clube serão divididos em oito grupos com oito equipes cada, com partidas de ida e volta. Desses, quatro por chave passam para a segunda fase, quando a competição volta ao modelo atual. O acesso à Série C segue sendo decidido nas quartas de final, que devem ocorrer nos dias 3 e 18 de outubro. A final está prevista para 8 e 22 de novembro.

Com isso, o Caxias passa dos atuais seis confrontos na fase de grupos para o mínimo de 14 partidas na Série D. A primeira fase está marcada para começar no dia 24 de maio e vai até 23 de agosto.

– Vai mudar tudo. O tempo de trabalho e de contrato dos jogadores. É uma ótima notícia. Fica muito melhor para fazer futebol com um número maior de jogos – avalia o gerente de futebol grená Ademir Bertoglio.

Outros dois gaúchos também serão beneficiados com a alteração de formato: o São Luiz, de Ijuí, e a equipe que conquistar a terceira vaga do Rio Grande Sul através da Copa Seu Verardi. Grande incentivador da mudança na forma de disputa da Série D, o atual presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF) e um dos vices da CBF, Francisco Novelleto, comemora o pedido atendido:

– Era uma reivindicação dos clubes. O tempo mínimo de contrato é de três meses e os times poderiam cair fora em um mês e meio. Eu tinha sugerido grupos de 10 equipes, mas fico muito feliz que já tenha aumentado para 14 jogos.

Com as novidades, o Caxias tem garantido em 2020 pelo menos 26 jogos – 11 no Gauchão, 14 na Série D e um na Copa do Brasil. Se conseguir chegar na decisão da Quarta Divisão, a equipe grená pode ter futebol de janeiro a novembro, sem o subterfúgio da Copinha da FGF. Para o torcedor, serão mais confrontos em casa e a chance de acompanhar por até 11 meses o grená em campo.

Leia também
Em Caxias, governador recebe afagos humanos e tecnológicos
PSD quer Vinicius Ribeiro no partido e candidato a prefeito de Caxias

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros