Em noite mágica de Renato Cajá, Juventude faz 4 a 0 no Imperatriz e está de volta à Série B - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Adeus, Série  C09/09/2019 | 21h50Atualizada em 10/09/2019 | 14h08

Em noite mágica de Renato Cajá, Juventude faz 4 a 0 no Imperatriz e está de volta à Série B

Aos olhos de 18.413 torcedores, Verdão se impôs desde o primeiro minuto e contou com a atuação extraclasse de seu camisa 10 para retornar à Segunda Divisão nacional

Em noite mágica de Renato Cajá, Juventude faz 4 a 0 no Imperatriz e está de volta à Série B Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Milhares de almas em festa saúdam, o Juventude está de volta à Série B.  Aos olhos de mais de 18 mil torcedores que lotaram o estádio Alfredo Jaconi, o Verdão se impôs desde o primeiro minuto e contou com a atuação extraclasse de Renato Cajá, autor de três gols, para fazer 4 a 0 no Imperatriz-MA e carimbar seu retorno à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro   .

A noite mágica começou com o Juventude impondo seu jogo e empurrando o Imperatriz para o campo de defesa. A estratégia deu certo e o placar foi aberto com quatro minutos. John Lennon sofreu falta na ponta direita e Renato Cajá cobrou com maestria, mandando para o fundo das redes. 

Após o primeiro gol alviverde, os maranhenses foram para cima em busca do empate e, por consequência, abriram espaços na defesa. Nome do jogo, Cajá foi muito participativo na primeira etapa. Em um contra-ataque, aos 16 minutos, o camisa 10 arriscou da intermediária ofensiva e a bola morreu no canto direito do goleiro Jean, ampliando o marcador pra 2 a 0. 

A avalanche seguiu. Aos 18, Dalberto invade a área e é desarmado por Gabriel Paulino. A bola vai em direção a marca do pênalti, onde estava Carlos Henrique, que bateu no canto e fez o terceiro do Juventude. 

Sem se abater, apesar do placar, o Imperatriz levou perigo aos 22 minutos, em uma cabeçada de Ramon Baiano, que obrigou o goleiro Marcelo Carné a realizar grande defesa. O Cavalo de Aço tentou reagir com jogadas de velocidade pelos lados do campo ou em cruzamentos para a área, no entanto todos afastados pela defesa alviverde. 

Aos 29 minutos, o centroavante Carlos Henrique deixou a partida com uma lesão no joelho esquerdo, sendo substituído por Bruno Alves. Com a larga vantagem no marcador, o técnico Marquinhos Santos optou por baixar a linha de marcação e esperar o adversário no meio-campo. A tática fez o Verdão administrar a vantagem até o intervalo.   

Segundo tempo 

Com o placar controlado, o Juventude voltou para o segundo tempo com uma mudança tática. O meio-campo passou a ser formado por João Paulo, John Lennon e Aprile, com Bruno Alves e Dalberto pelas pontas e Renato Cajá como o jogador mais avançado. 

Logo aos oito minutos, após levantamento na área, o Imperatriz marcou um gol com Matheus Lima, porém o jogador estava em impedimento e o gol foi invalidado. 

Explorando os contra-ataques, o Alviverde queria mais. Em jogada pela direita, Dalberto serviu Cajá e viu o camisa 10 marcar seu terceiro gol na partida, ampliando o placar para 4 a 0. 

Após o quarto gol, tudo foi festa. Renato Cajá foi substituído por Rafael Bastos e deixou o gramado aplaudido por todos os presentes. Breno também entrou no lugar de Dalberto para participar dos minutos finais.

Com a vitória, além de garantir vaga na Série  B 2020, o Juventude avançou para as semifinais da Série C e vai  enfrentar o Naútico nos próximos dois finais de semana.

Ficha técnica

Juventude 4 x 0 Imperatriz
Campeonato Brasileiro - Série C
Data: 09/09/2019
Local: Estádio Alfredo Jaconi

Juventude
Marcelo Carné; Vidal, Genílson, Sidimar e Eltinho; João Paulo, Aprile e Renato Cajá (Rafael Bastos); John Lennon, Dalberto (Breno) e Carlos Henrique (Bruno Alves) Técnico: Marquinhos Santos

Imperatriz
Jean; Gabriel Paulino, Ramon, Renan Dutra e Renan Luís; Do Santos, Xaves e Gabriel Caju (Marquinho Bala); Vitor Xavier, Lucas Campos e Manoel Cristiano (Gustavo Cebolinha)
Técnico:  Paulinho Kobayashi 

Árbitro:  Rodolpho Toski Marques (Fifa),  auxiliado por Bruno Boschilia (Fifa) e Ivan Carlos Bohn.  
Gol:  Renato Cajá (4'/1º, 16'/1º, 17/2º) e Carlos Henrique (18'/1º)
Cartões Amarelos: Renato Cajá, Eltinho, Marquinho Bala, Gabriel Paulino, Renan Dutra e Paulinho Kobayashi

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros