Os aprendizados de outra fase: o que ficou para o Caxias dos jogos contra o Avenida - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Série D05/07/2019 | 06h00Atualizada em 05/07/2019 | 06h00

Os aprendizados de outra fase: o que ficou para o Caxias dos jogos contra o Avenida

Grená vive diante do Cianorte situação similar ao que aconteceu em Santa Cruz do Sul

Os aprendizados de outra fase: o que ficou para o Caxias dos jogos contra o Avenida Antonio Valiente/Agencia RBS
Em Santa Cruz, Foguinho (D) e o Caxias buscaram a classificação nos pênaltis Foto: Antonio Valiente / Agencia RBS

O Caxias tem um cenário quase repetido pela frente. Assim como aconteceu na segunda fase da Série D, quando encarou o Avenida, o Grená vai para o segundo jogo contra o Cianorte com um 0 a 0 no duelo do Centenário. A partida das oitavas de final ocorre no domingo, às 15h, no interior paranaense.

No duelo em Santa Cruz do Sul, na fase anterior, o Caxias ainda era comandado por Pingo e conquistou a classificação depois de um novo 0 a 0 e vitória nos pênaltis. Agora, com Paulo Henrique Marques como treinador, a tentativa é repetir o feito e chegar nas quartas de final.

— Mais um jogo decisivo que vamos fazer fora de casa. A lição que fica de Santa Cruz é que nossa atenção tem que estar altíssima. Sabemos da dificuldade do jogo, o Cianorte é uma boa equipe, assim como era o Avenida. Mas tem que estar bem atento aos detalhes para conseguir a classificação — afirmou o volante Foguinho, que retorna ao time grená após cumprir suspensão na partida do fim de semana passado.

Para quem enfrentou o Caxias na fase anterior, o comportamento do time diante do Cianorte não deve ser muito diferente do que apresentou diante do Avenida. Técnico do Periquito, China Balbino acredita que a mudança no comando grená não deve alterar o padrão que a equipe apresentou até aqui.

Leia mais
Para enfrentar o Cianorte, Caxias aprende com lições do duelo diante do Avenida
Com retorno de Rafael Gava, Wagner deve voltar a ser volante no Caxias

— Ainda existe o conceito do Pingo. Mesmo que o Paulo Henrique venha arrumar alguma estratégia, talvez uma peça ou outra mudar, mas ainda está muito forte o trabalho do Pingo — diz China, alertando para o pouco tempo que o novo comandante teve no Caxias:

— Não estou no dia a dia, a gente não sabe o que aconteceu. Mas não foi por resultado que o Pingo saiu. O time estava bem montado, o trabalho estava sendo bem feito. Tenho certeza que o Paulo vai colocar suas ideias, mas é muito pouco tempo. Falo por experiência própria. Peguei o Avenida no meio do Gauchão, faltando dois jogos e sabia que muito pouco eu conseguiria introduzir.

Estilo de PH Marques

Com uma semana de trabalho à frente do Caxias, Paulo Henrique Marques segue mantendo o que prometeu na sua chegada: manter o que havia de bom no time. Porém, o treinador também aproveitou o período para implementar suas ideias.

— Ele tem nos passado a filosofia dele. É importante também que tem agregado muitas situações que ele via de fora. Estamos tentando assimilar o mais rápido possível, porque tínhamos um trabalho já de sete meses em um modelo de jogo. É uma semana de trabalho, mas ele já tem nos ajudado bastante a melhorar algumas situações. Acredito que podemos evoluir mais — afirmou Foguinho.

No caso de China Balbino, a classificação ficou pelo caminhou nos pênaltis. Do duelo na fase anterior, o comandante do Avenida passa o ensinamento para que o grená possa avançar novamente de fase.

— Decisão é algo de muita concentração. Pode ir a Cianorte e conseguir o resultado. Nesse nosso parâmetro, foram dois grandes jogos contra o Caxias. Torço sempre pelo melhor futebol e que o time possa dar uma sequência no campeonato. Espero que seja um grande jogo lá no Paraná — concluiu China.

Leia também
Teste seus conhecimentos sobre a carreira e a história de Alexandre Pires
Conheça as entidades presentes na Feijoada do Pulita

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros