Apaixonado pelo Caxias, Vítor Augusto Dal Bello, de três anos, viralizou nas redes sociais - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Amor genuíno e grená19/07/2019 | 22h00Atualizada em 19/07/2019 | 22h31

Apaixonado pelo Caxias, Vítor Augusto Dal Bello, de três anos, viralizou nas redes sociais

 Menino virou sucesso pelo vídeo da narração da escalação grená

Apaixonado pelo Caxias, Vítor Augusto Dal Bello, de três anos, viralizou nas redes sociais Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A torcida do Caxias vive dias de ansiedade e expectativa. O jogo deste sábado, contra o Manaus, pode ser histórico e confirmar o acesso à Série C. Porém, quem ainda, talvez, não tenha a real noção da proporção desse duelo é um pequeno torcedor de apenas três anos de idade: Vítor Augusto Dal Bello.

 Leia Mais
VÍDEO: Conheça o pequeno torcedor do Caxias que canta o hino e narra a escalação do time
Diário de Manaus: uma cidade com calor intenso e sem clima de decisão
Caxias viaja para Manaus com a equipe titular encaminhada 
Lateral esquerda passa a ser a grande interrogação no time do Caxias para a decisão do acesso  

Na semana da primeira partida vencida pelo Caxias, por 1 a 0, Vítor virou sucesso nas redes sociais pelo vídeo da narração da escalação grená. A gravação aconteceu no horário do almoço e viralizou na internet, inclusive com os atletas compartilhando e usando como forma de motivação.

— A repercussão foi uma surpresa para nós. Mandamos o vídeo para familiares e amigos, mas aos poucos fomos recebendo muitos contatos pelas redes sociais e de vocês do Jornal Pioneiro. Até o Pedro Henrique, irmão do Vítor, de 21 anos, que está na Austrália, falou sobre o assunto. Vou te confessar: foi impactante toda essa repercussão, mas foi muito legal — conta a mãe de Vítor, Verônica Dal Bello dos Santos.

Já o pai, Luciano Neto Santos, jamais imaginava que o filho fosse repercutir tanto:

— Normalmente, eu não almoço em casa, mas naquele dia resolvi ir. O que mais me chamou a atenção foi o entusiasmo dele. Nunca tivemos a intenção de fazer o vídeo para que ele reverberasse. Nós realmente não imaginávamos essa repercussão toda.

Mesmo sem dimensionar a importância das coisas pela pouca idade, Vítor demonstra pureza nas ações e muito amor e paixão pelo futebol, especialmente pelo Caxias. Vítor é educado, cativante e respira o Grená. Adora assistir aos jogos que passam pela televisão, independente do clube, mas ama mesmo acompanhar o time do coração no Estádio Centenário e jogar com a sua bola do Caxias, O uniforme com a camisa número 7, do ídolo Foguinho, e o mascote do clube em miniatura são outras peças que ele cuida com extremo cuidado.

O sentimento é tão forte que ao chegar da escola, o primeiro pedido do menino para os pais é tirar o uniforme escolar para vestir as cores grenás. Enquanto ele não coloca as vestimentas do Caxias, não sossega.

“Ele deixa de assistir desenhos para ver futebol na TV”

Vítor é um pequeno torcedor que ama o Caxias. Assim como ele, vários aficionados mirins também começam a gostar do clube do coração muito cedo e renovam a torcida que crescerá com o sentimento e o coração grenás.

— Eu acho tão legal que ele, tão pequeno, tenha servido de inspiração para outras crianças. Que isso sirva de incentivo, não só para os jogadores e para o Caxias, mas que seja algo sadio. As crianças precisam de bons motivos para vibrar pela vida —  lembra a mãe Verônica.

Todo esse amor pelo Caxias jamais foi imposição. A mãe é juventudista de coração, mas está torcedora grená pelo filho. O pai é torcedor do Caxias, mas nunca forçou nada. O sentimento surgiu naturalmente.

— O Vítor começou de uma forma natural, porque quando ele nasceu eu me dedicava menos ao futebol. Porém, naturalmente ele começava a se interessar por esporte. Ele deixa de assistir desenhos para ver futebol na TV. Tudo isso espontâneo e sem nenhuma pressão. Te confesso, ele tem mais camisas do Caxias do que eu — diz o pai.

Ninguém consegue mudar a convicção de Vítor. Aos três anos, ele é grená. Foi levado a outros estádios e a outros jogos, mas nada fez ele trocar de time.

— Ele não se vende. Já foi assistir a um jogo do Juventude com os avós maternos, mas chegou à portaria e disse que não era Juventude, e sim Caxias (risos) —  lembra Luciano.

Aos três anos, Vítor ainda não tem o discernimento de que o Caxias está a 90 minutos de um feito histórico e fundamental para o seu futuro: o acesso à Serie C. Mas, certamente, daqui a algum tempo ele vai lembrar da conquista e do seu amor genuíno pelo grená, que se resume na sua rotina.

— Ele treina, brinca, estuda, mas quando chega em casa, quer treinar e treinar, e Caxias, e Caxias. É a TV em canais de esporte, ele quer assistir os jogos. Esses dias, ele estava assistindo o VT de um jogo qualquer— finaliza a mãe.

 Leia Também
Por elenco rodado, Juventude já teve 23 jogadores no time titular. Confira quem mais jogou 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros