Sob o risco de ser multado, Juventude volta a repudiar caso de racismo no Jaconi - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

Copa do Brasil09/05/2019 | 17h17Atualizada em 09/05/2019 | 17h17

Sob o risco de ser multado, Juventude volta a repudiar caso de racismo no Jaconi

Presidente alviverde pede que torcedores ajudem a monitorar qualquer tipo de insulto 

Sob o risco de ser multado, Juventude volta a repudiar caso de racismo no Jaconi Porthus Junior/Agencia RBS
No duelo contra o Botafogo, um torcedor foi flagrado, identificado pelo Juventude e encaminhado ao Jecrim, por atitude racista Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O Juventude não tem muito o que falar, já fez o que devia e repudia qualquer tipo de ato. Assim a direção do clube alviverde encara a denúncia de racismo que será julgada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O clube será denunciado devido ao episódio ocorrido no jogo válido pela terceira fase da Copa do Brasil, diante do Botafogo.

— Recebi a notificação. Essa questão é do Botafogo. Pelo Juventude, a pessoa foi identificada, encaminhada para os órgãos competentes. O jogador não quis prestar ocorrência. O Juventude fez tudo o que tinha de ser feito — resume Walter Dal Zotto Jr, presidente do Ju. 

O dirigente, no entanto, reafirma o repúdio do clube em relação a qualquer tipo de insulto ou violência e pede que os próprios torcedores sejam ajudantes do Ju neste sentido. 

— O que o Juventude tem de fazer é o seguinte: se um idiota desses, porque essa é a palavra, cometer alguma injúria, os próprios torcedores têm de identificar. Daqui a pouco vem um cara que nem é nosso torcedor e tudo vai se levantar de novo. O Juventude está tomando as providências possíveis, como segurança para o time adversário. Só para ficar claro, o Juventude repudia qualquer tipo de ato nesse sentido. Nunca seremos coniventes com esse tipo de atitude — reitera Dal Zotto. 

Julgamento sem data para acontecer
Gustavo Bochecha, volante da equipe carioca, estava no banco de reservas e recebeu um insulto racista por parte de um torcedor, que foi prontamente identificado pelo clube e pelos órgãos de segurança e encaminhado para o Juizado Especial Criminal (Jecrim) do Alfredo Jaconi para registro da ocorrência.  

O clube e o torcedor serão enquadrados no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A punição poderá ser de suspensão mínima de 720 dias ao torcedor e o clube pode receber uma multa entre R$ 100 e R$ 100 mil. A informação da denúncia ao STJD foi divulgada pelo "Observatório da Discriminação Racial no Futebol".

Leia também:
Aprovado projeto que torna Caxias Eco Moda evento oficial do município
Prefeitura de Caxias veta projeto de lei sobre divulgação de consultas no SUS, mas propõe texto semelhante

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros