Sem jogar a tolha: Juventude e a crença na permanência na Série B - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Faltam quatro jogos03/11/2018 | 09h05Atualizada em 03/11/2018 | 09h05

Sem jogar a tolha: Juventude e a crença na permanência na Série B

Zagueiro Micael disse que acredita em milagre e na recuperação do time

Sem jogar a tolha: Juventude e a crença na permanência na Série B Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

— Nós acreditamos em milagre.

Começou assim a entrevista do zagueiro e capitão do Juventude Micael, na sexta-feira, um dia após a derrota da equipe alviverde para o Brasil-Pel. 

A indignação do defensor, que chegou a dar socos na mesa da sala de imprensa do Estádio Alfredo Jaconi enquanto falava que não ia desistir, era reflexo de uma partida que não saiu como o imaginado.

— Chegar aqui depois de uma derrota dessas é difícil. Temos que assumir nossa responsabilidade. A gente sabe que fizemos um jogo muito bom tecnicamente. Sabíamos o que tínhamos que fazer, mas não transformamos em gol — admitiu Micael.

A partir de agora, serão quatro partidas para que o “milagre” aconteça e o time do técnico Luiz Carlos Winck consiga transformar em gols a tardia melhora no nível de atuação do time.

Micael acredita. E espera que a crença de que o time não irá para a Terceira Divisão também esteja com os juventudistas.

— O verdadeiro jogador é o que acredita até o final. Da mesma forma, o verdadeiro torcedor  também acredita até o final. Não pode se contentar ao ponto de dizer “também larguei”.  Ao contrário. Vamos lá torcedor, vamos acreditar até o final. Os jogadores não largaram. Não tem bandeira branca. Ninguém jogou a toalha. A gente tá indo até o final e sabemos que o torcedor de verdade vai conosco. A gente acredita na permanência na Série B — concluiu Micael.

Leia também
Diário de Marechal: a cidade das bicicletas e do verde

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros