Intervalo: O futuro do Juventude é um grande ponto de interrogação - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 

Opinião12/11/2018 | 07h00Atualizada em 12/11/2018 | 07h00

Intervalo: O futuro do Juventude é um grande ponto de interrogação

Com receita inferior, clube precisará se reinventar para os desafios de 2019

Intervalo: O futuro do Juventude é um grande ponto de interrogação Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

A grande dúvida
Qual será o Juventude de 2019? A pergunta pode até passar a ser respondida pela entrevista do presidente Roberto Tonietto, na tarde desta segunda-feira. Porém, vai muito além da possível mudança do mandatário. Recai sobre investimentos, despesas, apoiadores, aproveitamento das categorias de base e, também, quantos jogadores deste atual grupo serão aproveitados.

Leia Mais
ACBF perde em casa para a Copagril e é eliminada na Liga Nacional
"Situação de ladeira abaixo", diz Winck sobre quando assumiu o Juventude

Na Série C, o Juventude voltará a ficar sem receber verba de TV. Precisará correr atrás de algum patrocínio maior. Além disso, o valor pago pela FGF no Gauchão também será inferior pelo fato de o clube não estar na Série B. Além disso, a saída de Tonietto significaria também o fim do patrocínio da Rodoil?

O futuro alviverde, neste momento, é cercado de incertezas. Antes de pensar em quem será o técnico e qual será o grupo de atletas, o Juventude tem de definir quais serão os comandantes do clube e do futebol em 2019. E não dá para demorar muito.

Mais que merecido
Melhor time, com alguma folga, nesta Série B, o Fortaleza confirmou o título da competição no sábado. As outras três vagas na elite serão decididas na duas rodadas que restam, em uma briga que promete muito. Pelo momento, apostaria em CSA, Goiás e Ponte Preta.

Na parte de baixo, quase tudo resolvido. O Sampaio Corrêa também foi rebaixado, mesmo vencendo o São Bento. 

Decepcionante
A ACBF foi muito aquém do que poderia na partida de volta diante da Copagril. Não teve a velocidade e marcação adiantada que costuma apresentar. Foi uma equipe nervosa demais e que não entendeu a dimensão da decisão. Pagou caro e terá de ver as finais da LNF pela televisão.

Jogo histórico
A derrota por 35 a 3 diante do All Blacks Maori, sábado, não foi o mais importante. Pela primeira vez na história, o Brasil enfrentou um time da Nova Zelândia, grande potência do rúgbi. E o Morumbi, em São Paulo, recebeu 34.541 pessoas, o maior público da história da modalidade no país.

Leia Também
Vice de futebol do Juventude admite que o time mereceu rebaixamento

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros