Judoca caxiense Alexandre Vanin celebra participação em Mundial e atuação em projeto social - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Judô17/10/2018 | 08h00Atualizada em 17/10/2018 | 08h00

Judoca caxiense Alexandre Vanin celebra participação em Mundial e atuação em projeto social

Três lutadores de Caxias vão disputar competição de veteranos no México

Judoca caxiense Alexandre Vanin celebra participação em Mundial e atuação em projeto social Felipe Nyland/Agencia RBS
Ale Vanin durante uma das aulas do projeto criado pela Associação Caxiense de Judô Veteranos Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

Caxias do Sul estará representada por três atletas do Recreio da Juventude no Mundial de Veteranos de Judô, que inicia hoje e segue até domingo, em Cancún, no México. Alexandre Scopel Vanin (30 a 34 anos, até 73kg), André de Ataydes Pinto (40 a 44 anos, até 81kg) e Antonio Brito Casanova (60 a 64 anos, até 73kg) vão participar da competição.

Leia Mais
Amadores Esporte Clube: Conheça a história do judoca Osvaldo Molina da Fontoura  

O Brasil terá 140 atletas na disputa, sendo a segunda maior delegação entre os 45 países participantes. O Mundial terá apenas judocas faixa preta, a partir dos 30 anos.

– É um sonho de vida como judoca participar de um Mundial e teremos essa oportunidade. A preparação exige muito e vamos aproveitar esse momento – destaca Vanin, que iniciou no judô aos cinco anos e hoje tem 32.

Alexandre Vanin se divide entre os treinos e uma nova atividade que tem tornado sua relação com o judô ainda mais especial. Junto com outros amigos, ele criou a Associação Caxiense de Judô Veteranos, que há um mês realiza um trabalho social no Centro de Convivência Santo Antônio, do projeto Mão Amiga. 

– Quando a gente fica um tempo no judô, tem essa sensação de querer devolver um pouco do que a modalidade nos ofereceu. São valores muito fortes, como disciplina, respeito à hierarquia, dedicação, amizade e lealdade – explica o judoca.

As aulas de judô acontecem uma vez por semana e os cerca de quarenta alunos foram divididos em quatro grupos. São atendidas crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos. A associação vive de contribuições e banca todo o projeto. Comprou piso emborrachado para os treinos e já encomendou quimonos para a criançada. No final deste ano, eles vão passar pelo exame de graduação e iniciar sua caminhada na modalidade.

– Estou surpreso e muito feliz. As crianças nos perguntam quando a gente volta e o desenvolvimento motor e físico delas é muito interessante também. É uma associação que cresce de grão em grão, com doações das mais diversas formas. A nossa intenção é que nunca pare de existir um judô social e gratuito dentro da nossa cidade. Acredito que assim é que podemos fazer a nossa parte – comemora Ale Vanin.


 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros