Sem inspiração, Juventude arrisca pouco e volta a perder em casa na competição - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B04/09/2018 | 22h21Atualizada em 04/09/2018 | 22h35

Sem inspiração, Juventude arrisca pouco e volta a perder em casa na competição

Alviverde foi derrotado para o Criciúma por 1 a 0 na noite de terça-feira

Sem inspiração, Juventude arrisca pouco e volta a perder em casa na competição Lucas Amorelli/Agencia RBS
Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

O Juventude voltou a tropeçar em casa. Em outra noite fria, com temperatura na casa dos 8°C, o Alfredo Jaconi foi palco de um insucesso alviverde. Ontem, para pouco mais de 2.000 torcedores, o Ju perdeu para o Criciúma por 1 a 0 e chegou ao seu oitavo jogo seguido sem vencer na Série B. Além disso, em casa, o Ju chega a marca negativa de ter marcado apenas um gol nos últimos seis jogos, exatamente na última vitória no Jaconi, contra o CRB, no dia 21 de julho. Ao todo, são quatro derrotas sob seus domínios e apenas duas vitórias.

O Juventude precisou de quatro minutos para levar susto ao gol rival. Em cruzamento rasteiro de Vidal, o goleiro Luiz se jogou na bola para evitar que Caio Rangel ou Elias conseguissem finalizar.

O ímpeto inicial do Ju deu lugar aos erros de passe e o Criciúma passou a ter a posse de bola. O Ju equilibrou este quesito, mas seguia com dificuldades de se aproximar da área rival.

Aos 44 minutos, a única e remota chance do Juventude. Bertotto investiu pela esquerda e cruzou na medida para Elias. O centroavante, porém, cabeceou torto para a linha de fundo.

Os sete escanteios em favor do Criciúma foram os principais momentos de emoção de um primeiro tempo muito fraco tecnicamente.

O Juventude voltou com alteração para a segunda etapa. Bruninho foi mandado a campo no lugar de Maurício. Com isso, Bertotto passou a atuar como lateral-esquerdo. Além da troca, o alviverde se mostrou mais aceso no recomeço do jogo. Com pouco mais de um minutos, Elias ganhou da defesa rival, invadiu a área e colocou no capricho. A bola saiu rente à trave esquerda do gol defendido por Luiz.

Aos sete, Caio Rangel foi lançado, e completamente livre dentro da área, chutou cruzado com a perna esquerda. O chute saiu torto e para fora.

A primeira oportunidade do Criciúma foi fatal. Aos 11, Marlon cobrou falta frontal. A bola explodiu no travessão e no rebote, Vitor Feijão, livre na pequena área, só empurrou para o gol vazio para abrir o placar.

Depois disso, a insistência do Ju em buscar o placar esbarrava na imprecisão dos passes e finalizações. As vaias passaram a fazer parte das arquibancadas a cada lance de erro dos donos da casa.

Aos 32, a torcida gritou gol. Mas a finalização de Rafael Bonfim encontrou Guilherme Queiróz impedido para mandar para a rede, após jogada da direita.

Depois disso, tentativas raras de jogadas aéreas, mas sem perigo contra o gol defendido por Luiz. Resultado: nova derrota e vaias da torcida.

Leia Também:
UBS de Forqueta, em Caxias, sofre com falta de médicos e enfermeiros
Laboratório de falsificação de bebidas alcoólicas é descoberto em Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros