Intervalo: "Winck observou e constatou que o Juventude precisa mudar para reagir" - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião07/09/2018 | 08h00Atualizada em 07/09/2018 | 08h15

Intervalo: "Winck observou e constatou que o Juventude precisa mudar para reagir"

Juventude entra em campo no sábado, diante do São Bento, no Alfredo Jaconi

Intervalo: "Winck observou e constatou que o Juventude precisa mudar para reagir" Porthus Junior/Agencia RBS
Yuri Mamute deve voltar a ganhar chance no titular do Juventude Foto: Porthus Junior / Agencia RBS
mauricio reolon

Mudanças
Não chega a ser uma novidade. Winck observou e constatou que o Juventude precisa mudar para reagir. Com o time que havia colocado em campo diante do Criciúma, pouco conseguiria evoluir no objetivo de deixar a zona de rebaixamento.

Leia Mais:
ACBF vence o Sobradinho com time alternativo e retoma a liderança da Liga Gaúcha
Intervalo: "Não é momento de achar culpados, mas de encontrar forças para seguir na Série B"

O maior problema é a falta de qualidade em alguns setores. Nas laterais, sem os titulares Mattioni e Pará, resta apostar em Choco e Neuton. No meio, a volta de Leandro Lima é natural. Com a camisa 9, outra tentativa com Mamute. O treinador ainda terá o treino de hoje para novas observações, mas dificilmente encontrará caminhos muito melhores.

A grande mudança não estará em nomes. Como alertou ao grupo o próprio treinador, ela precisa vir de cada um dos jogadores que estiver em campo.

Surtiu efeito
Aqui mesmo neste espaço comentei a mudança drástica que o Palmeiras propunha quando da mudança da comissão técnica. Saia um treinador mais jovem e estudioso, no caso Roger Machado, e entrava o multicampeão Felipão, experiente e com características bem diferentes de jogo.

Até aqui, a mudança surtiu efeito positivo. Invicto no Brasileiro e vivo na Copa do Brasil e Libertadores, o Palmeiras vai incomodar.

Novo comando
Como já era de se imaginar, não durou muito a passagem de Osmar Loss pela equipe principal do Corinthians. O mais curioso é que ele aceitou voltar a ser auxiliar. O novo comandante será Jair Ventura, ex-Santos e Botafogo.

Liderança e qualidade
Tite, de certa forma, surpreendeu. Antes do amistoso contra os Estados Unidos, o primeiro após a Copa do Mundo, anunciou o fim do rodízio de capitães na Seleção. Além disso, confirmou que Neymar será o principal líder desta nova etapa.

– É uma liderança técnica. É um jogador que amadureceu ao longo do tempo, tem sabido absorver situações importantes, de erros e críticas. Somos incompletos e estamos sempre nos lapidando – disse o treinador.

Além de uma grande repercussão, a mudança na braçadeira deixa claro o primeiro grande movimento de Tite nesta nova etapa: tentar reconstruir a imagem de Neymar na Seleção.

Leia Também:
Desfiles marcam a comemoração da Independência do Brasil nas cidades da Serra
Campanha arrecada recursos para tratamento de bebê, em Caxias
Dois homens participaram de assassinato de taxista, diz Polícia Civil de Caxias do Sul

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros