Intervalo: Jogo deste sábado é fundamental para a sequência do trabalho de Julinho Camargo - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião25/08/2018 | 06h30Atualizada em 25/08/2018 | 06h30

Intervalo: Jogo deste sábado é fundamental para a sequência do trabalho de Julinho Camargo

Equipe alviverde encara o lanterna Boa Esporte no Alfredo Jaconi

Intervalo: Jogo deste sábado é fundamental para a sequência do trabalho de Julinho Camargo Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Para mudar o cenário
Julinho Camargo está em uma encruzilhada na noite deste sábado. Um bom resultado, aliado a uma atuação segura contra o Boa Esporte, pode dar um novo ânimo, uma força extra ao trabalho do treinador. Além disso, mesmo que em um confronto diante do lanterna da competição, elevaria a motivação do grupo. Por outro lado, em caso de um novo tropeço no Alfredo Jaconi, a saída do comandante seria algo iminente.

Leia Mais
Juventude terá mudanças diante do Boa Esporte, no sábado

Os números falam até mais do que as atuações recentes do time. Com cinco jogos sem vencer e sem conseguir sequer marcar um golzinho, o Juventude precisa fazer algo diferente. E aí não seria apenas uma mudança em nomes, mas também de atitude, da forma como encarar o momento complicado.

Basta saber se o grupo alviverde tem disposição e qualidade para evitar que a crise se agrave. 

Noite gelada
Um sábado, 21h e previsão de temperaturas negativas em Caxias do Sul. Me desculpem os dirigentes, mas quem em sã consciência irá ao estádio Alfredo Jaconi para acompanhar Juventude x Boa Esporte? Os mais fieis, os fanáticos, aqueles que não deixam o time na mão. Por toda essa adversidade, a resposta precisa ser melhor dentro de campo. Caso contrário, os protestos antes, durante ou após o jogo serão ainda mais justificáveis.

Rally dos Sertões
Se encerra neste sábado, em Fortaleza, a 26ª edição do Rally dos Sertões. Na etapa de sexta-feira, Tunico Maciel ficou ainda mais perto do título das motos. O caxiense Gregório Caselani segue em terceiro no geral. A sétima e última etapa inicia em Juazeiro do Norte e terá 656km.

Triste realidade
Pela primeira vez depois de 10 anos, o tênis brasileiro não terá representantes na chave de simples do US Open, o último Grand Slam da temporada. O cearense Thiago Monteiro, o gaúcho Guilherme Clezar e a paulista Beatriz Haddad Maia caíram na segunda rodada do qualificatório. Trata-se de apenas mais uma amostra da carência de nomes na modalidade.

O Brasil terá apenas três jogadores na chave de duplas: os mineiros Marcelo Melo e Bruno Soares e o caxiense Marcelo Demoliner, que vai atuar com o mexicano Santiago González. A chave dos duplistas ainda não foi divulgada pela organização.

Leia também
Dupla caxiense participa de prova em Ushuaia, na Argentina
Tá na Web: candidato na Paraíba promete liberar tanques de guerra para agricultores

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros