Intervalo: Após uma temporada espetacular, o triste desfecho da trajetória do Caxias Basquete - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião03/08/2018 | 06h45Atualizada em 03/08/2018 | 06h45

Intervalo: Após uma temporada espetacular, o triste desfecho da trajetória do Caxias Basquete

Depois de três temporadas na elite, equipe não disputará o NBB 11

Intervalo: Após uma temporada espetacular, o triste desfecho da trajetória do Caxias Basquete Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Decepcionante
Essa era aquela notícia que não imaginava ou pretendia repercutir. Após uma temporada espetacular, um desfecho lamentável. O Caxias do Sul Basquete não disputará o NBB 11 em mais uma demonstração do quão frágil é o esporte no Rio Grande do Sul. Não basta ter um trabalho sério. Não basta ter resultados expressivos. Não basta fomentar uma modalidade e ter o apoio gigante de uma comunidade. Os gaúchos gostam de esporte, mas os seus empresários não o valorizam como em outros estados.

Leia Mais
Sem patrocinadores, Caxias do Sul Basquete está fora do NBB 11

Em um cenário que parecia propício ao crescimento, após a sexta colocação no último NBB, o golpe foi fatal. E aí não é culpa da crise, de uma outra situação esporádica de mudança de direção de uma empresa. Não existe uma cultura esportiva no Rio Grande do Sul.

Com exceção do futebol, o alto rendimento só sobrevive por conta de abnegados. Uma das poucas exceções seria a ACBF, que tem na Tramontina o seu grande alicerce.

O que nos resta agora é lamentar. Mais uma vez, Caxias do Sul perde. O torcedor ficará órfão de toda a emoção que vivenciou na última temporada. E a gurizada que ingressou em escolinhas e se apaixonou pela modalidade deixa de ter uma referência. 

E o futuro?
Com o pedido de licença do NBB 11, o Caxias  deixa seu futuro indefinido. É pouco provável que o time consiga recursos para retornar nas próximas temporadas. Por conta disso, deve voltar a disputar apenas competições estaduais e regionais. Logicamente, se permanecer com as atividades na categoria adulta.

Recuperação
Após uma boa atuação e um péssimo resultado diante do Fortaleza, o Juventude tem outra pedreira. Encara o vice-líder CSA, em Alagoas, nesta noite de quinta-feira, no encerramento do primeiro turno. Para seguir distante do G-4, é fundamental pontuar mais uma vez longe de casa. 

Alternativas
Douglas e Vidal recebem novas oportunidades. Queiróz deve ser o titular no ataque e Julinho Camargo pode contar com importantes alternativas no banco. Enfim, Fellipe Mateus, Caio Rangel e Mamute estão à disposição. Resta saber por quanto tempo eles poderão ser utilizados.

Leia Também
Com Caio Rangel e Yuri Mamute na delegação, Juventude viaja para encarar o CSA
Presidente da Federação Gaúcha de Basquete aposta: "Logo o Caxias estará de volta" 

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros