Em noite gelada, Juventude repete fracas atuações e fica no 0 a 0 com o Boa Esporte no Jaconi - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B25/08/2018 | 22h52Atualizada em 25/08/2018 | 23h26

Em noite gelada, Juventude repete fracas atuações e fica no 0 a 0 com o Boa Esporte no Jaconi

Resultado pode ser decisivo para mudança na comissão técnica alviverde

Em noite gelada, Juventude repete fracas atuações e fica no 0 a 0 com o Boa Esporte no Jaconi Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A paciência do torcedor alviverde acabou. Em uma noite gelada, com temperatura próxima de 0ºC, o Juventude protagonizou outra atuação vexatória em casa e ficou no empate sem gols com o lanterna Boa Esporte. O resultado até não reflete em uma queda na tabela, mas, pela insatisfação dos Jaconeros e o clima nos bastidores, o 12º empate na Série B deve ter sido o último ato de Julinho Camargo no comando da equipe. 

Antes mesmo de a bola rolar e durante o jogo, os gritos de "Ei Julinho, pede pra sair" foram ouvidos em vários momentos. O resultado deste sábado mantém o Juventude próximo à zona de rebaixamento, com 27 pontos e na 13º colocação. O próximo desafio é contra o Paysandu, fora de casa, na próxima sexta-feira.

Com a necessidade da vitória, Julinho Camargo mandou a campo o atacante Caio Rangel como principal novidade na equipe titular. E, no início da partida, o time parecia disposto  a buscar o resultado.Logo aos dois minutos, em jogada individual de Caio Rangel, o atacante passou por três e chutou cruzado. A bola desviou no defensor do Boa e acertou a trave antes de sair. No minuto seguinte, Leandro Lima ficou com o rebote na área. Ele girou e só não marcou porque Rodrigo evitou a finalização.

Aos poucos, o ímpeto inicial do Juventude diminuiu e os mineiros passaram a assustar nos contra-ataques. Quase sempre pelo lado direito de ataque, o Boa encontrava espaços para jogar, mas não tinha qualidade para finalizar.Aos 19, quando Tony demorou para tirar a bola da área alviverde, Cloves aproveitou o rebote, mas o chute saiu rente à trave.

Aos 24, Fellipe Mateus, o meia mais lúcido do Ju, tabelou com Caio Rangel e finalizou fraco. A bola foi desviada e saiu pela linha de fundo. O Boa respondeu aos 29, quando William Barbio avançou pela direita e cruzou para Juninho Potiguar desviar para fora. O Juventude tinha o controle do jogo, mas encontrava dificuldades para criar lances de perigo. Aos 35, em trapalhada da defesa e do goleiro do Boa, Fellipe Mateus quase marcou em chute cruzado.

Em uma equipe desorganizada, somente jogadas individuais fariam o Juventude criar algo melhor. Aos 44, Leandro Lima passou por dois marcadores e arriscou de fora da área. Sem perigo. O empate sem gols ao fim da primeira etapa fez com que as vaias ecoassem no Alfredo Jaconi. 

Sem mudanças na equipe, o Juventude voltou do intervalo repetindo erros da primeira etapa. Aos quatro minutos, Bruno Tubarão recebeu livre na entrada da área e finalizou em cima de Matheus Cavichioli. Empilhando escanteios e com várias possibilidades em bolas paradas, o Juventude não aproveitava. Aos seis, Rafael Bonfim arriscou de muito longe e a bola passou próxima ao ângulo de Fabrício.

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL, 25/08/2018. Juventude x Boa Esporte-MG, jogo válido p ela 23ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro e realizado no estádio Alfredo Jaconi. (Porthus Junior/Agncia RBS)
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Aos 10, enfim, uma jogada bem trabalhada pelo Ju. Vidal chegou à linha de fundo e cruzou com perfeição para Leandro Lima cabecear firme. Fabrício fez a defesa e a bola ainda bateu na trave antes de a defesa afastar o perigo.

Na tentativa de tornar o time mais ofensivo, Julinho Camargo sacou Tony e colocou em campo o jovem Denner. Conforme o tempo passava, a paciência das arquibancadas diminuía. Aos 21, Diones perdeu a bola de forma bisonha como último homem da defesa e Juninho Potiguar desperdiçou uma chance incrível. 

Aos 24, no seu primeiro lance em campo, Ricardo Jesus desviou de cabeça e Rafael Bonfim quase abriu o placar. Foi só. A entrada de Maikinho na vaga de Caio Rangel não surtiu efeito e o que se viu nos momentos finais foi um time alviverde completado desorganizado. Nos acréscimos, Jesus ainda perdeu uma chance incrível, a única na segunda etapa.

O 12º empate na Série B deixou ainda mais clara a incapacidade do Juventude de evoluir. Será preciso mudar para não correr riscos de rebaixamento. 

Ficha técnica
Juventude - 0

Matheus; Vidal, Rafael Bonfim, Fred e Bertotto; Diones, Tony (Denner, 13/2º), Leandro Lima e Fellipe Mateus; Caio Rangel (Maikinho, 33/2º) e Elias (Ricardo Jesus, 23/2º)
Técnico: Julinho Camargo

Boa Esporte - 0
Fabrício; Helder, Rodrigo, Rafael Jensen e Kaio Cristian; Machado, Cloves, William Barbio (Daniel Cruz, 26/2º), Thallyson (Bruno Tubarão, int.) e Alyson; Juninho Potiguar (Manuel, 36/2º)
Técnico: Ney da Matta

Cartões amarelos: Bertotto (J); Juninho Potiguar, Cloves, Kaio Cristian (B).

Público total: 1.164 torcedores. Renda: R$ 12.130,00.

Local: Estádio Alfredo Jaconi.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros