Após cinco jogos sem Juventude marcar gols, Julinho fala de adversário descansado - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B21/08/2018 | 21h58Atualizada em 21/08/2018 | 21h58

Após cinco jogos sem Juventude marcar gols, Julinho fala de adversário descansado

Equipe alviverde perdeu por 1 a 0 para o Avaí e soma sexto revés na Segunda Divisão

Após cinco jogos sem Juventude marcar gols, Julinho fala de adversário descansado Marco Favero/Diário Catarinense
Foto: Marco Favero / Diário Catarinense
Pioneiro
Pioneiro

Após mais um revés do Juventude na Série B, o técnico Julinho Camargo lamentou a falta de efetividade do time nas oportunidades criadas diante do Avaí, na noite desta terça-feira. A derrota por 1 a 0 — terceira para os catarinense no ano, foi lamentada pelo treinador:

—  A gente atuou contra uma equipe que estava a semana inteira descansando e é boa. No primeiro tempo neutralizamos o jogo e tivemos uma atuação estável. Na segunda etapa, quando eles vieram com um volume melhor, colocamos o Elias e tivemos a grande chance nos pés do centroavante que entrou. Infelizmente, a bola não entrou. Não fomos efetivos. Pela insistência, eles acabaram sendo felizes — avaliou Julinho. 

O treinador ainda comentou sobre as dificuldades vivenciadas durante a competição e o desafio de recuperar a autoestima do grupo para a sequência do segundo turno da Série B:

— Batemos nas limitações que temos. E o que precisamos é trabalhar para melhorar. No grupo, precisamos encontrar soluções e temos de buscar as vitórias a partir do próximo jogo. Não podemos mais marcar passo na competição e sábado é fundamental conquistar a vitória contra o Boa. Vou continuar dando moral para os nossos atletas.

Após o final da partida, novamente, a entrevista do goleiro Matheus Cavichioli foi de um discurso frustrante. Melhor em campo pela equipe alviverde, o camisa 1 não conseguiu encontrar explicações para o novo tropeço.

— A gente tem que trabalhar mais e mostrar mais serviço em campo. Não tem o que falar. Não tem mais explicação. Temos que ouvir qualquer crítica e ficar quietos. É trabalhar, porque se mantiver do jeito que está pode ficar difícil de recuperar depois — disse o goleiro.

Leia também
Jogador do Serra Gaúcha Rugby é convocado para a seleção brasileira

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros