Intervalo: O comercial de Neymar foi mais um tiro no pé na reconstrução da imagem do jogador - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião31/07/2018 | 14h27Atualizada em 31/07/2018 | 14h27

Intervalo: O comercial de Neymar foi mais um tiro no pé na reconstrução da imagem do jogador

Atacante do PSG continua com dificuldade de falar diretamente ao torcedor

Intervalo: O comercial de Neymar foi mais um tiro no pé na reconstrução da imagem do jogador Benjamin CREMEL / AFP/AFP
Foto: Benjamin CREMEL / AFP / AFP

Neymarketing
O texto é excelente. Um pedido de desculpas, uma autorreflexão na qual Neymar fala sobre suas dores, erros e dificuldades. Estaria dentro do contexto não fosse um mero detalhe.  Qual o problema? É um comercial. De novo. Neymar tem uma enorme dificuldade de falar direto ao torcedor. De uma forma simples. Precisa sempre estar “maquiado” por trás de uma grande rede de televisão ou de uma marca. A vitimização do craque brasileiro não convence. Nem tampouco a sua defesa diante das críticas. Neymar é um baita jogador e nem de longe precisaria de uma ação de marketing como essa para tentar reconstruir sua imagem. Ela poderia vir, simplesmente, dentro de campo e com um discurso mais direto. Assim, como apenas um produto midiático e do marketing – muito fruto da relação do seu pai com os negócios – Neymar não será o craque que poderia ser. Falta o carisma, falta a empatia, dentro e fora de campo, que outros jogadores constroem naturalmente, sem campanhas publicitárias ou textos criados por uma agência.

Abaixo do esperado
Nesta segunda-feira, em conversa com o repórter Renan Silveira, o vice de futebol do Juventude, Jones Biglia, admitiu que esperava ver o clube em uma posição mais acima da tabela neste momento da competição. Além disso, mostrou-se confiante em um bom desempenho no returno.A grande questão é a ausência de reforços. O Ju segue de olho no mercado, especialmente para o setor ofensivo. Só que, por enquanto, a espera é pelas voltas de Caio Rangel e Mamute.

Com o VAR
A CBF detalhou ontem em coletiva de imprensa na sede da entidade como será a utilização do árbitro de vídeo nas quartas de final da Copa do Brasil, que começam amanhã com três jogos. Será a primeira vez que a tecnologia entrará em campo em uma competição de nível nacional. Ao todo, serão 14 partidas com o VAR, um investimento de R$ 700 mil até a final da competição. Serão de 14 a 16 câmeras por transmissão – praticamente a metade do utilizado na Copa do Mundo. 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros