Intervalo: Em um duelo tão equilibrado, o detalhe fez a diferença a favor da Bélgica - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião06/07/2018 | 21h13

Intervalo: Em um duelo tão equilibrado, o detalhe fez a diferença a favor da Bélgica

Brasil acabou eliminado após perder por 2 a 1 para os belgas

Intervalo: Em um duelo tão equilibrado, o detalhe fez a diferença a favor da Bélgica Luis Acosta / AFP/AFP
Foto: Luis Acosta / AFP / AFP

Despedida amarga
Não foi um chocolate belga, amargo como aquele do 7 a 1. Muito pelo contrário. E foi justamente pelo equilíbrio do confronto e pelas chances criadas, especialmente no segundo tempo, que a despedida precoce da Seleção de Tite fica ainda mais dolorosa.

Leia Mais
Seleção Brasileira perde para a Bélgica e dá adeus à Copa do Mundo
Irmã e amigos mandam mensagem de apoio a Tite: "Fez o melhor que pôde"

Em um duelo como o desta sexta-feira, cada detalhe faz a diferença. É jogo onde um gol contra pesa demais. Onde, em um contra-ataque rápido, o jogador precisa ter a consciência de que uma falta tática é fundamental. Fernandinho não fez e De Bruyne marcou um golaço.

Com a desvantagem, Tite poderia ter invertido substituições, sacado o próprio Fernandinho ou escolhido outras alternativas. Mas o resultado não passou por isso. O segundo tempo do Brasil foi de uma pressão intensa, com chances claras, e só um gol.Prevaleceu a eficiência e a qualidade dos belgas na decisão.

Sem terra arrasada
Gabriel Jesus ficou muito abaixo do que poderia render. Mas, como o caçula do grupo, não pode ser taxado como jogador que não serve para a Seleção. Ainda tem muito pela frente.

O mesmo vale para o trabalho de Tite. Trocar o comando seria muita burrice, apesar de não poder se duvidar de nada que venha da CBF. Sem terra arrasada!

Agora, é pensar nos próximos desafios. O processo de renovação de jogadores é natural de uma Copa para outra e precisa ser gerido por alguém competente para isso.

Destaques
Philippe Coutinho fez uma Copa brilhante e tem tudo para ser o grande nome da equipe em 2022. Claro, ao lado de Neymar e outros jovens que surgem, como Arthur e Vinícius Júnior, por exemplo. Por outro lado, em sua despedida, Thiago Silva foi gigante. Um Mundial espetacular.

De fato, a nossa Copa
Passado o período de lamentação pela queda da Seleção de Tite, voltamos para a nossa realidade. E, de fato, para o futebol caxiense, a grande Copa do Mundo de 2018 será jogada neste domingo, no Centenário.

É jogo de acesso, de dar um salto fundamental para a retomada do Caxias no cenário nacional. Winck merece e o grupo grená precisa do apoio dos seus torcedores. Pelo equilíbrio do duelo, a força em casa precisa fazer a diferença. 

Leia Também
Após bater na trave nos últimos anos, Gledson quer o acesso com o Caxias

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros