Intervalo: a falta de pontaria do Ju está fazendo falta ao time - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião30/07/2018 | 08h38Atualizada em 30/07/2018 | 08h38

Intervalo: a falta de pontaria do Ju está fazendo falta ao time

Equipe do técnico Julinho Camargo finalizou 14 vezes e apenas quatro no gol

Intervalo: a falta de pontaria do Ju está fazendo falta ao time Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Mattioni (2) quase fez um golaço, mas a bola foi para fora e Julinho (ao fundo) lamentou Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Foi o melhor início de jogo que vi do Juventude. Um time jogando em cima do adversário, criando boas oportunidades – a melhor, nos momentos iniciais, ao meu ver foi com Felipe Mattioni –, mas todas indo para fora. Nos meus números, o Ju finalizou 14 vezes e apenas quatro foram na direção do gol defendido por Boeck. A pontaria que faz falta neste momento, em que o time encontrou sua melhor forma de jogar. Se a bola do garoto Denner, no segundo tempo, entra, poderia dar outro rumo à partida. Mas tudo tem um contexto.

Há poucos dias me defrontei com outro número que mostra o quanto a efetividade alviverde faz a diferença. Segundo o site Footstats, a Ju precisava concluir nove vezes para conseguir marcar um gol. É muito. Por exemplo, o Fortaleza concluiu sete no gol alviverde e fez três gols. Aí mostra a grande diferença entre as duas equipes no sábado. Efetividade.

Por que Queiróz segue como reserva?

Cada jogo do Ju em que o atacante Guilherme Queiróz entra, deixa a dúvida: por que não é titular? No sábado, novamente, ele deu volume ao setor ofensivo do time. Poderia jogar como um segundo atacante nos jogos do Jaconi. Deixaria o time mais ofensivo. Pela coletiva do Julinho, a dúvida seguirá.

O lateral-direito Felipe Mattioni e o volante Jair estão suspensos para sexta. Justamente os dois melhores em campo contra o Fortaleza. 

Peço desculpas

 CAXIAS DO SUL, RS, BRASIL 28/07/2018. Juventude x Fortaleza, jogo válido pela 18ª rodada da série B do Campeonato Brasileiro e realizado no estádio Alfredo Jaconi.Antes do início da partida, houve briga entre torcedores do Juventude e torcedores do Fortaleza e da SER Caxias que estavam na torcida do Fortaleza. (Diogo Sallaberry/Agência RBS)
14 pessoas foram levados a DP, devido a briga antes da partidaFoto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Sempre que escrevo neste espaço, critico, e muito, os baixos públicos nos estádios de Caxias do Sul. Mas depois da batalha campal de sábado, peço desculpa ao torcedor que abandonou as arquibancadas. Está difícil pedir que estas pessoas reocupem seus espaços. Mais um ponto negativo para o futebol.

A briga entre torcedores de Caxias e Juventude, num jogo que o rival alviverde era o Fortaleza é até difícil crer numa explicação plausível sobre as motivações.  Nada impede de um grená ir ao Jaconi assistir a um jogo, mas vá em paz. O mesmo vale para os alviverdes. O futebol não é sinônimo de violência.

A briga, por quem presenciou, foi entre alguns integrantes da Falange Grená e da Mancha Verde. A primeira já está suspensa pelo seu clube, por outra situação. A segunda foi proibida de entrar no jogo de sábado. Surtirão algum efeito essas punições?

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros