Em jogo fraco tecnicamente, Juventude empata com o Brasil-Pel fora de casa - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B13/07/2018 | 20h03Atualizada em 13/07/2018 | 20h06

Em jogo fraco tecnicamente, Juventude empata com o Brasil-Pel fora de casa

Com arbitragem polêmica, equipe alviverde ficou no 1 a 1 diante do Xavante, no Bento Freitas

Em jogo fraco tecnicamente, Juventude empata com o Brasil-Pel fora de casa Flavio Neves / Estadão Conteúdo/Estadão Conteúdo
Foto: Flavio Neves / Estadão Conteúdo / Estadão Conteúdo

Quem imaginava uma situação diferente de um empate no confronto entre Brasil-Pel e Juventude, na noite desta sexta-feira, no Estádio Bento Freitas, em Pelotas, se frustrou. Os dois representantes gaúchos no Campeonato Brasileiro da Série B mostraram o motivo de estarem brigando na parte de baixo da tabela da competição. 

O 1 a 1 no duelo na Zona Sul do Estado foi o reflexo de dois times desorganizados e que pouco produziram. Nem mesmo as mais de duas semanas sem jogar apresentaram um Juventude diferente. O oitavo empate do Ju na segunda divisão nacional foi desanimador contra um fraco adversário. Os lances polêmicos da arbitragem amenizam a fraca atuação da equipe de Julinho Camargo em Pelotas. O próximo jogo alviverde será na terça-feira, contra o Sampaio Corrêa, no Maranhão.

A característica bastante conhecida de priorizar o setor defensivo dos dois treinadores foi evidente durante a primeira etapa. Tanto o Juventude de Julinho Camargo, quanto o Brasil-Pel de  Gilmar Dal Pozzo, proporcionaram 49 minutos de um futebol pobre e um jogo cansativo.

A chegada logo aos dois minutos por parte dos xavantes, com cruzamento de Sciola que Matheus interveio de soco antes  de Luiz Eduardo tocar a bola, poderia iludir para um jogo melhor. Porém,  a partir daí, foi quase metade do primeiro tempo sem nenhum dos times levarem perigo ao adversário.

A partida só empolgou a partir dos 27 minutos. E com muita polêmica. Eder Sciola passou como quis por Neuton pelo lado direito de ataque xavante e rolou para trás, onde Valdemir se apresentou. O volante rubro-negro chutou, sem muita força, na direção de Matheus, que viu Luiz Eduardo antecipá-lo, com um leve toque de canela. A bola morreu no fundo da rede alviverde. O time do Juventude reclamou muito da condição irregular do centroavante do Brasil-Pel. Porém, a auxiliar Neuza Inês Bachi não considerou o toque de Luiz Eduardo e o árbitro Heber Roberto Lopes deu gol para Valdemir.

Aos 33, nova polêmica. Vidal entrou na área e chutou forte em direção do gol. A bola bateu na mão de Sciola, mas o folclórico Heber Roberto nada marcou.

O alívio alviverde só veio aos 37. Primeiro foi a vez de Pará, em cobrança de escanteio fechado, quase marcar. O zagueiro xavante Rafael Dumas salvou em cima da linha após falha de Pitol. Na sobra, a bola chegou até Leandro Lima, que fez novo cruzamento para a área. O lateral-direito Felipe Mattioni subiu alto e desviou de cabeça para o fundo do gol. Empate do Ju ainda na primeira etapa.

Ainda deu tempo de Matheus salvar o segundo do Brasil-Pel, quando Sousa tentou fazer por cobertura, aos 46. Intervalo e muita reclamação alviverde com a arbitragem.

A segunda etapa começou melhor. O Xavante chegou primeiro, com Pereira, aos sete minutos, cobrando falta que Matheus defendeu. O Juventude  quase virou, aos 13. Felipe Mattioni fez boa jogada pela direita e tocou para Jair, que chutou rasteiro com força e Pitol mandou para a linha de fundo. A equipe alviverde voltou a arriscar aos 24, quando Leandro Lima chutou de fora da área por cima do gol.

A partir daí, foram duas equipes tentando de alguma maneira chegar ao gol adversário, mas sem sucesso. Empate ruim para os dois times em um jogo fraco tecnicamente.

Leia também
MEIs, micro e pequenas empresas terão mais prazo para aderir ao eSocial

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros