Em jogo fraco, Juventude empata com o Sampaio Corrêa - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B17/07/2018 | 22h46Atualizada em 17/07/2018 | 22h46

Em jogo fraco, Juventude empata com o Sampaio Corrêa

Equipe da Serra ficou no 0 a 0 com o time maranhense, em partida de pouco futebol

Em jogo fraco, Juventude empata com o Sampaio Corrêa Lucas Almeida/Futura Press
Foto: Lucas Almeida / Futura Press

O Juventude conseguiu terminar a sequência de jogos contra adversários da zona do rebaixamento sem conseguir uma vitória. Diante do Sampaio Corrêa, na noite de ontem, o time de Julinho Camargo teve outra atuação sofrível e não passou de um 0 a 0, no jogo atrasado da 14ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.  O empate fora, que seria um bom resultado caso a equipe alviverde fizesse o dever de casa, deixa o time ainda beirando a zona do rebaixamento, com 18 pontos. Agora, são cinco jogos sem vitória na competição. O próximo confronto será no sábado, contra o CRB, em casa.

O primeiro susto para o time alviverde veio logo no primeiro minuto. Após cobrança de lateral pela esquerda, o Sampaio Corrêa quase abriu o marcador com Reginaldo Júnior, que aproveitou bobeira da defesa do Ju e mandou um testaço. Matheus evitou o gol maranhense em uma bela defesa.

Leia mais

Aos nove minutos, o Juventude chegou a marcar. Porém, o gol de cabeça de Rafael Bonfim, após cobrança de falta de Tony, foi anulado por impedimento marcado pela arbitragem do carioca Alexandre de Jesus.

Na troca de ataques de lado a lado, logo no início do confronto, o Sampaio chegou forte. Reginaldo Junior fez boa jogada pela direita e bateu cruzado. O atacante Uillian Barros se esticou mas não alcançou para mandar a bola para o fundo da rede.

Antes de acabar a criatividade das duas equipes após a metade da primeira etapa, o Juventude teve duas boas oportunidades. A primeira, aos 24, teve Felipe Mattioni chegando cara a cara com o Andrey, após belo passe de Pará. O goleiro do Bolívia — apelido do Sampaio — saiu no abafa e interceptou a finalização do lateral alviverde.

Dois minutos depois, foi a vez de Pará obrigar Andrey a difícil defesa. O lateral-esquerdo cobrou escanteio fechado na primeira trave, e o jogador do time maranhense se esticou para salvar de qualquer jeito o primeiro gol alviverde.

A partir daí, o que se viu foi um jogo fraco tecnicamente e sem chances claras para nenhuma das equipes. O intevalo de partida foi um alívio para os sofríveis minutos finais de primeiro tempo.

A etapa complementar de jogo começou com o Juventude tentando. Logo na primeiro ataque,  com um minuto e meio, Leandro Lima deixou o centroavante Elias na cara do gol adversário. O camisa 9 alviverde finalizou com força, buscando o ângulo esquerdo, mas Andrey fez boa defesa.

Depois disso, novamente o jogo entrou num limbo de qualidade técnica das duas equipes. O Sampaio Corrêa tinha um pouco mais de posse de bola, mas também não conseguia ser efetivo. O Bolívia só chegou com algum perigo aos 28, quando Reginaldo Junior arriscou da entrada da área, à esquerda do gol de Matheus.

Aos 38, o Juventude ganhou vantagem numérica com a expulsão de Esquerdinha, após carrinho em Pará. Porém, Julinho Camargo não colocou o time mais a frente e o empate foi o reflexo do pouco futebol das duas equipes. Ainda deu tempo de Guilherme Queiróz — inexplicavelmente na reserva — chutar na trave no último minuto de jogo.


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros