Intervalo: Faltam apenas dois passos para o Caxias na Série D - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião25/06/2018 | 07h26Atualizada em 25/06/2018 | 07h26

Intervalo: Faltam apenas dois passos para o Caxias na Série D

Contra o Treze-PB, os grenás podem, enfim, sair dos porões do futebol brasileiro

Intervalo: Faltam apenas dois passos para o Caxias na Série D Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A classificação do Caxias passa pelo merecimento da equipe comandada pelo técnico Luiz Carlos Winck. A campanha é irretocável, com sete vitórias e três empates. Além das atuações convincentes. O clube chega, enfim, no ponto mais importante da competição e com favoritismo adquirido pelo que fez até o momento. 

No domingo, o time de Winck mostrou que além de maduro, é um time determinado. Mesmo sofrendo o gol cedo, pela neblina não posso afirmar que foi uma falha de Gledson, o time não desistiu. É fato também que o Uberlândia deu muitos espaços. Mas aí o problema não é grená, que conseguiu a virada e poderia ter um placar mais tranquilo. Passado isso, chegou a hora mais esperada deste ano e um rival à altura: o Treze-PB.

O clube de Campina Grande tem nomes conhecidos para os grenás. O gerente de futebol é Gil Baiano. Ídolo do Caxias na conquista do Gauchão de 2000, mas que também trabalhou no clube no fatídico ano de 2015, como dirigente. O atacante Marcelinho Paraíba ainda joga. Ele fez um dos gols que eliminou os grenás na Série D de 2016, quando jogava no Inter de Lages-SC.

Leia mais
Inscrições para segunda etapa da Liga Serrana de Futevôlei se encerram nesta segunda

Mais um do Caxias Basquete que vai embora

Os times do centro do país estão se movimentando. Domingo, o Mogi das Cruzes-SP confirmou a contratação do armador Enzo Cafferata, outro jogador de destaque na temporada do Caxias do Sul Basquete. E com mais esta saída confirmada, começa a preocupação sobre o time caxiense. Sem patrocinadores, perde atletas e vê o mercado reduzir. Situação preocupante.

Um craque chamado Toni Kroos

As goleadas de Bélgica e Inglaterra foram destoantes nessa Copa. A eliminação polonesa também chama um pouco a atenção, assim como a grande campanha senegalesa. Mas nada se compara aos alemães e, especificamente, a Toni Kroos. Alemanha e Suécia fizeram o jogo do fim de semana. Uma partida digna de quem é a atual campeã do mundo e coroada com uma cobrança de falta para ser vista por muitos anos. Kroos fez o que se espera de um craque, chamou a responsabilidade na bola do jogo. Que privilégio podermos assistir este alemão jogar.

Leia também
Cerca de 140 pessoas participam de almoço de confraternização em Caxias para assistir jogo de Senegal 

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros