Intervalo: A decepção argentina e o jogo fundamental para a Seleção de Tite - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Opinião21/06/2018 | 23h47Atualizada em 21/06/2018 | 23h47

Intervalo: A decepção argentina e o jogo fundamental para a Seleção de Tite

Brasil encara a Costa Rica com a necessidade da vitória

Intervalo: A decepção argentina e o jogo fundamental para a Seleção de Tite Martin BERNETTI/AFP
Foto: Martin BERNETTI / AFP

Decepção argentina
Primeiro: não coloquem toda a culpa em cima de Messi. O craque argentino não pode ser crucificado por, simplesmente, não ter um time ao seu redor. 

Naquela comparação de sempre com Cristiano Ronaldo, o grupo português é muito mais frágil, mas a organização em campo é incomparável. O time, se é que podemos chamar assim, de Jorge Sampaoli é um amontoado de bons jogadores e alguns craques que não conseguem render o mesmo que em seus clubes.

Leia Mais
Em quadrinhos, conheça a trajetória de Tite, técnico da Seleção Brasileira
Técnicos caxienses participam dos últimos testes de preparação para o Mundial de handebol para surdos

Ou alguém consegue explicar a baixa produção de Agüero? Ou então o fato de Dybala e Di María terem sido preteridos para que Enzo Pérez, Meza e Salvio estivessem em campo.

A goleada croata só confirmou o que vinha acontecendo desde as Eliminatórias. Não dá para depender só do seu camisa 10. Fica a lição.

Como ele joga
Luka Modric  joga demais. Está sempre bem colocado, troca passes com naturalidade e tem uma visão de jogo espetacular. Ontem, diante de um meio-campo pesado e sem qualquer familiaridade com o termo qualidade, o craque do Real Madrid deitou e rolou. 

No primeiro tempo, deu uma assistência preciosa que Rebic não aproveitou. Na reta final da partida, praticamente selou a vitória com um chutaço no canto de Caballero. É um camisa 10 dos mais brilhantes da geração atual.

 Croatias midfielder Luka Modric (R) celebrates after scoring their second goal during the Russia 2018 World Cup Group D football match between Argentina and Croatia at the Nizhny Novgorod Stadium in Nizhny Novgorod on June 21, 2018. / AFP PHOTO / Johannes EISELE / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - NO MOBILE PUSH ALERTS/DOWNLOADSEditoria: SPOLocal: Nizhniy NovgorodIndexador: JOHANNES EISELESecao: soccerFonte: AFPFotógrafo: STF
Foto: Johannes EISELE / AFP

Por uma vitória
O Brasil de Tite tem um jogo fundamental no Grupo E. Após o empate na estreia, não acredito que a Seleção tenha dificuldades diante da Costa Rica. O adversário, bem menos qualificado que a Suíça, fez uma campanha espetacular na última Copa, mas não conseguiu repetir o mesmo desempenho nas Eliminatórias.

Um novo tropeço só virá se os brasileiros atuarem muito abaixo de suas potencialidades. Caso contrário, vitória tranquila.

Série B
Foi mais uma boa atuação do Juventude. Se ainda não conseguiu empolgar ou ter uma sequência de resultados positivos, o time de Julinho Camargo tem uma cara bem definida. Especialmente longe de casa, consegue ter uma postura eficiente na marcação e levar muito perigo nas bolas aéreas ofensivas. Foi assim que igualou as ações contra o Goiás e, por muito pouco, não saiu com os três pontos do Serra Dourada.

Leia Também
A inspiração que o título do Caxias em 2000 pode contribuir para o hexa

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros