Juventude ainda está em busca de uma formação ideal - Esportes - Pioneiro
 

Série B17/05/2018 | 08h45Atualizada em 17/05/2018 | 08h45

Juventude ainda está em busca de uma formação ideal

Após seis rodadas, técnico Julinho Carmago não encontrou um time titular

Juventude ainda está em busca de uma formação ideal Lucas Amorelli/Agencia RBS
Treinador alviverde utilizou mais de 24 jogadores na competição nacional Foto: Lucas Amorelli / Agencia RBS

— Eu não gosto de mudar o time, gosto de manter uma equipe e ir batendo nela. Ir mudando uma peça, no máximo duas.

Esta frase  do técnico Julinho Camargo chamou a atenção após o empate sem gols entre Juventude e Criciúma, na terça-feira, em Santa Catarina. Não é o que se percebe na prática. As escalações mostram isso. Julinho não repetiu nenhuma vez os 11 titulares desde que chegou ao Jaconi. Além de ter vários problemas com o departamento médico, há outro ponto levantado pelo comandante.

—  O desgaste de um jogo em cima do outro e viagens fazem com que tu tenhas que mudar – complementou Julinho.

As mudanças de escalações são uma rotina no Alfredo Jaconi. Até este momento é quase impossível definir uma espinha dorsal titular da equipe, tendo em vista que apenas dois atletas iniciaram as seis rodadas da Série B: o zagueiro Fred – suspenso para a próxima partida – e o volante Jair. Outro jogador que também é absoluto na equipe de Julinho Camargo é o goleiro Matheus Cavichioli, fora apenas do jogo contra o Boa por estar suspenso.

Fora o trio, há três constantes e um resto de incertezas. O lateral-esquerdo Pará, o volante Bertotto e o zagueiro César Martins foram titulares em cinco jogos. A questão é que o último vem atuando improvisado na lateral direita e deverá voltar à zaga no jogo com o São Bento, no dia 26. Em resumo, não tem vaga garantida entre os 11. De resto, foram usados 15 atletas diferentes nestas partidas. Nem mesmo o artilheiro Guilherme Queiróz tem cadeira cativa: jogou cinco, mas foi titular apenas em duas. O meia Fellipe Mateus atuou nas seis rodadas, mas iniciou apenas quatro. No meio de campo, a rotação de nomes é ainda maior.

A maratona de jogos também não pode ser levada em conta. O time teve uma intertemporada de 30 dias e só duas sequências com duas partidas num prazo de 72 horas. O desgaste não deveria ter tanto peso. Este ponto deixa ainda mais em dúvida as escolhas de Julinho Camargo: por desgaste, escolhas pensando na estratégia do time ou ainda na busca de uma equipe ideal? As formações também variam, desde o 4-2-3-1 até um 4-5-1, como no último jogo. 

Para a direção, tudo está dentro do prazo. Foram contratados 11 atletas para Série B e o time ainda está em formação.

— Uma equipe não se monta em seis partidas, existe tempo de trabalho para criar um padrão. Entendemos que o torcedor cobra, que quer o time lá em cima e vencendo. Mas para chegar lá é preciso ter um caminho traçado. Não é de uma hora para outra que a equipe vai adquirir um padrão e começar a vencer jogos — disse o vice de futebol Jones Biglia após o empate de terça-feira.

Números
:: Atletas utilizados em todos os jogos da Série B:  Fred, Jair e Fellipe Mateus
:: Contratações para a Série B:  12
:: Utilizados na Série B: 24
:: Mais vezes como  titulares: Matheus Cavichioli (5); César Martins (5), Fred (6) Rafael Bonfim (3) e Pará (5); Bertotto (5) e Jair (6); Fellipe Mateus (4), Leandro Lima (3) e Caio Rangel (3); Yuri Mamute (3).

Leia também
Decreto da prefeitura de Caxias sobre poda de árvores deve chegar ao MP

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros