Equipes serranas têm objetivos opostos na última rodada - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Divisão de Acesso09/05/2018 | 08h09Atualizada em 09/05/2018 | 08h09

Equipes serranas têm objetivos opostos na última rodada

Glória e Esportivo buscam a classificação, enquanto Brasil-Fa luta contra a queda

Equipes serranas têm objetivos opostos na última rodada Kévin Sganzerla/FML Esportes
Esportivo tem aproveitamento de 80% no returno, mas não garantiu a classificação Foto: Kévin Sganzerla / FML Esportes

A luta para seguir sonhando com a volta ao Gauchão e o último fio de esperança em seguir na Segundona. Os times das Serra entram em campo para a rodada derradeira na primeira fase da Divisão de Acesso nesta quarta, às 15h30min, com objetivos opostos. Em uma competição tão equilibrada como a deste ano, Glória e Esportivo dependem só de suas forças para garantir vaga entre os quatro que avançam à fase de quartas de final. A missão mais difícil fica para o Brasil-Fa. O rubro-verde só não disputará a terceira divisão do futebol gaúcho em 2019 se vencer e o Igrejinha perder – ambos jogam fora de casa.

Das 16 equipes que iniciaram a competição, apenas São Gabriel, Guarani-VA e Santa Cruz – já rebaixado –, no grupo A, não têm mais nenhum objetivo para a última rodada. Os outros 13 brigam pela classificação ou para não cair. Garantidos matematicamente na próxima fase estão Inter-SM, Pelotas, Ypiranga e Tupi, mas todos precisam de pontos para garantir uma posição melhor em suas chaves na busca por uma vantagem nos mata-matas. 

Para os três representantes da Serra, a dificuldade da competição foi marcante. Esportivo e Brasil-Fa mudaram de treinador no decorrer do campeonato. Para o Esportivo surtiu efeito, e o time da Montanha dos Vinhedos chega na última rodada dependendo apenas de suas forças.

Leia mais
Caxias trata próxima rodada como decisiva para a classificação à segunda fase
Sem definições, Juventude ensaia time para enfrentar o Paysandu, na sexta

Para o Glória, a campanha foi mais tranquila. Passando praticamente todo o tempo na  zona de classificação, o Leão deixou escapar a vaga antecipadamente nas duas últimas rodadas, mas está quase lá.

Em um campeonato tão equilibrado e com tantos times de tradição — 14 já disputaram a Primeira Divisão —, a emoção ficou guardada para a última rodada.

Rubro-verde luta contra o reabixamento

Para seguir na Divisão de Acesso, o Brasil-Fa precisa de algo que ainda não aconteceu em 2018: vencer. Com quatro empates e nove derrotas, o rubro-verde tem que vencer o União Frederiquense, fora de casa,  e torcer obrigatoriamente por derrota do Igrejinha para o Glória.

Para o presidente do clube, Elenir Bonetto, não há outro pensamento que não seja a vitória:

— Não pensamos em outra possibilidade. Há esperança, então tem que lutar. Talvez jogar sem a pressão da torcida em casa pode até favorecer.

O Brasil-Fa já tem definido o pensamento para o futuro.

— Se não cair, a ideia é jogar a Copinha. Se vier o rebaixamento, vamos nos preparar para jogar a Terceira ano que vem, onde o clube nunca esteve em 79 anos de história –diz Bonetto.

Falta um ponto para o Leão classificar

 VACARIA, RS, BRASIL 01/03/2018Treino do Glórias para a estréia na Divisão de Acesso. (Marcelo casagrande/Ag~encia RBS)
Glória, de Alê Menezes, busca as primeiras colocaçõesFoto: Marcelo casagrande / Agencia RBS

Terceiro colocado do Grupo B, com 22 pontos, o Glória ainda não tem garantida a classificação para a próxima fase. Contudo, o time de Vacaria pode ser o  líder, dependendo de uma combinação de resultados. Jogando nos Altos da Glória, a equipe de China Balbino recebe o Igrejinha, que precisa de um empate para se salvar da queda. 

Para Alê Menezes, diretor de futebol do Leão, chegar na última rodada necessitando de um ponto para classificar, mostra o equilíbrio da competição.

— Poderíamos ter conseguido a classificação com duas rodadas de antecedência. Mas isso mostra a dificuldade da nossa chave. O bom é que decidimos em casa e podemos nos garantir até com uma derrota. E, se vencer, brigamos para ser o primeiro — diz o dirigente, que tem como objetivo ficar entre uma das duas primeiras posições do grupo:

— Independente do adversário na próxima fase, queremos decidir em casa. É difícil fazer um planejamento sobre o possível rival. Será uma briga muito boa, com times de tradição. O único que ninguém acreditava é o Tupi, que está fazendo história. A peleia vai ser bonita.

Esportivo precisa vencer o líder

Nem mesmo a invencibilidade no returno — quatro vitórias e dois empates — garantiram o Esportivo nas quartas de final. Com 21 pontos e na quarta colocação, o time de Bento Gonçalves recebe o Ypiranga, na Montanha dos Vinhedos. Se vencer, o time do técnico Cristian de Souza fica com a vaga, e pode beliscar um segundo lugar. Em caso de empate, o Passo Fundo, quinto na chave, não pode vencer. Se for derrotado, a secação passa a ser também no União Frederiquense.

Para o presidente do clube, Anderson Zanella, a boa sequência na segunda parte do campeonato anima para a classificação:

— Estamos confiantes pelas boas atuações e o desempenho crescente. Sofremos muito com lesões no início do campeonato e depois o time encaixou. A aceitação aos reforços  (cinco chegaram durante o campeonato) e ao novo treinador foi ótima.

Leia também
Escolas estaduais de Caxias começam a receber vistorias na rede elétrica



 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros