Intervalo: O que esperar da estreia do Juventude na Série B? - Esportes - Pioneiro
 

Opinião13/04/2018 | 06h00Atualizada em 13/04/2018 | 06h00

Intervalo: O que esperar da estreia do Juventude na Série B?

Com novas peças e mais de 30 dias de intertemporada, equipe encara o Figueirense

Intervalo: O que esperar da estreia do Juventude na Série B? Diogo Sallaberry/Agencia RBS
Foto: Diogo Sallaberry / Agencia RBS

Agora sim, o time de Julinho
Como o próprio treinador deixou claro nas entrevistas logo após a eliminação do Gauchão, o torcedor alviverde verá na Série B, realmente, o time de Julinho Camargo. Depois de um final frustrante no Estadual, o comandante teve um período importante para avaliar o grupo, ajustar questões físicas e, principalmente, melhorar o que foi visto nos primeiros meses do ano.

Leia Mais
Juventude viaja para Florianópolis com 20 jogadores para a estreia contra o Figueirense
Dupla de volantes busca a titularidade na equipe do Caxias para o início da Série D

Não sei se a resposta será imediata, mas a grande expectativa, pelo menos de minha parte, é ver qual será a atitude do grupo. No Gauchão, por muitas vezes, o Juventude foi apático, sem força e reação diante de times inferiores tecnicamente.

Agora, teoricamente, os jogos são de melhor qualidade, com mais espaço em campo. É hora de quem não mostrou serviço no Gauchão dar as caras. E para os novos reforços apresentarem suas credenciais.

Motivado
Se o Juventude entra na Série B um pouco pressionado pelo mau início de ano, o Figueirense começa motivado. O time foi o segundo colocado na fase inicial e venceu a decisão do Catarinense diante da Chapecoense, no último domingo.

Reforços
Dos nove jogadores contratados até aqui pelo Ju, seis foram relacionados para a estreia em Florianópolis, mas apenas dois ou três (Mattioni, Jair e Bertotto) devem ser titulares. 

Necessidade
A matemática é simples. Seis atacantes deixaram o Centenário após a disputa do Gauchão (Nicolas, João Paulo, Ramon, Daniel Cruz, Carlos André e Wagner). Só chegaram quatro peças de reposição (Wesley, Eder, Mikael e Caio Cézar). 

Por mais que tenha dificuldades financeiras para contratar, o Caxias ainda carece de alternativas. Poderia ser até um meia-atacante que jogue pelos lados. O mercado está complicado neste período, mas vale um esforço.

Leia mais
Marcada sessão de julgamento do impeachment do prefeito de Caxias do Sul
TREs do país estão reunidos em Bento Gonçalves 


 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros