Há 30 dias sem jogar, Juventude conta as horas para estrear na Série B de 2018 - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Ansiedade10/04/2018 | 08h00Atualizada em 10/04/2018 | 08h00

Há 30 dias sem jogar, Juventude conta as horas para estrear na Série B de 2018

Alviverde não disputa uma partida desde o dia 11 de março, pelo Gauchão

Há 30 dias sem jogar, Juventude conta as horas para estrear na Série B de 2018 Porthus Junior/Agencia RBS
Meia Felipe Lima, apesar da ansiedade, período sem jogos servirá para que a equipe entre mais forte na competição nacional Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

A contagem regressiva continua no Alfredo Jaconi. Há exatos 30 dias sem jogar, o Juventude está a três de voltar a disputar uma competição oficial. Na sexta-feira, às 21h30min, o alviverde encara o Figueirense, em Florianópolis-SC na estreia da Série B 2018.

Desde o empate sem gols com o Veranópolis em casa no dia 11 de março, o Ju realiza uma intertemporada, uma vez que não conseguiu a classificação à segunda fase do Gauchão. Tempo para treinos e também para aumentar a ansiedade para voltar a jogar.

— A ansiedade está a mil. Viemos trabalhando bastante, treinando forte. Ficamos ansiosos, não tem jeito porque queremos estar jogando. Nesse tempo nos preparamos, treinamos o que estávamos procurando e estamos mais fortes para enfrentar essa competição — avalia o meia Felipe Lima.

O discurso é o mesmo do volante Amaral, que no ano passado disputou a Série B pelo Náutico.

— É um campeonato difícil, nivelado. Não podemos começar mal porque é difícil buscar depois, mesmo que seja uma competição longa. Caímos fora do Gauchão. Não era o que queríamos, mas a preparação está sendo boa e importante para que a gente possa chegar forte na Série B. É um período que está sendo importante na parte tática e física — concorda o volante.

Antes de viajar para Santa Catarina na quinta-feira, o Ju ainda faz mais quatro treinos. Dois deles serão nesta terça-feira, quando o time realiza atividades em dois turnos.

Foco é nos ajustes do meio-campo

Dos reforços que o Juventude contratou para a disputa da Série B, apenas dois devem começar a competição como titulares: Felipe Mattioni, na lateral-direita, e Jair, como volante ao lado de Amaral. Este enaltece a briga por posições como um dos fatores positivos da equipe.

— É uma briga sadia. Acredito que todos estão dando o melhor. É uma dor de cabeça boa que o treinador tem. Ele é quem decide, mas o importante é o grupo estar focado e trabalhando em prol de um objetivo só — resume Amaral.

Mais na frente, Felipe Lima é um dos responsáveis pela criação das jogadas ofensivas, junto de Fellipe Mateus e Leandro Lima. No último sábado, no jogo-treino com o Novo Hamburgo, Julinho Camargo pediu mais aproximação entre eles. As conversas desse tipo são constantes, garante Felipe Lima:

— A gente procura acertar o que é preciso. Me sinto bem na posição que ele me colocou para jogar. Procuramos melhorar a cada dia. Ele é um cara muito inteligente e que procura sempre nos ajudar. Falei para ele que eu não tenho posição de preferência. Estou à disposição para ajudar dentro do campo.

Ao todo, sete dos reforços contratados até o momento têm a marcação como características. Além de Mattioni e Jair, vieram o zagueiro Rafael Bonfim, o lateral-esquerdo Neuton, o volante Bertotto e os meias Tony e Diones, que também atuam como volantes. Um segundo volante e um atacante de lado são as buscas alviverdes e são esperados ainda nessa semana.

Leia Também:
Começa a valer o prazo para que empresas de aplicativos de transporte se regularizem em Caxias
Néspolo desiste de concorrer a deputado estadual
"Estamos com muita esperança de que ele vai aparecer", diz mulher de um dos desaparecidos em Vacaria

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros