Diário de Mogi: Uma cidade que respira o basquete e sonha com o título do NBB - Esportes - Pioneiro

Vers?o mobile

 
 

NBB 1018/04/2018 | 10h14Atualizada em 18/04/2018 | 11h15

Diário de Mogi: Uma cidade que respira o basquete e sonha com o título do NBB

Mogi das Cruzes deve lotar ginásio e espera por título nacional

Diário de Mogi: Uma cidade que respira o basquete e sonha com o título do NBB Felipe Nyland/Agencia RBS
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

Vale até um mistério

O Mogi realizou dois treinos nesta terça-feira, mas apenas um foi com os titulares e focado na parte tática. Justamente nesse trabalho, o técnico Guerrinha "fechou" os portões para não dar margem ao adversário. A atividade, que iniciou às 10h30min, teve como base a repetição de jogadas sem o pivô Caio Torres, que segue lesionado.

Treino e recuperação

O treino do Caxias começou pouco depois das 19h e durou menos de uma hora. Muito pela viagem – a equipe saiu de Caxias do Sul às 2h e chegou em Mogi das Cruzes às 8h30min, deixando o dia para recuperação dos atletas.
Na atividade, Rodrigo Barbosa paralisou várias vezes para acertos de posicionamentos defensivos. A equipe começará com Cauê Verzola, Cauê Borges, Pedro, Alex e Paranhos.

Cidade que respira basquete

O principal time de Mogi das Cruzes é o Mogi/Helbor. Há outras modalidades, mas sem tanto holofote. No futebol, existe o União, só que a equipe disputa a quarta divisão paulista. No futsal, o time local disputa o Estadual, mas sem grandes investimentos.
Todas as atenções estão voltadas ao basquete e há quem diga que Mogi das Cruzes é a verdadeira capital do esporte no país, mostrando uma rivalidade com Franca. O time voltou ao seu auge em 2011, e desde então vem crescendo. Foi campeão paulista e da Liga Sul-Americana na temporada 2016/2017. Porém, ainda falta o NBB. 

Estátua

 MOGI DAS CRUZES, SP, BRASIL 17/04/2018Obra em homenagem ao Mogi das Cruzes Basquete, de autoria de Rodrigo Bittencourt. (Felipe Nyland/Agência RBS)
Foto: Felipe Nyland / Agencia RBS

A cidade respira tanto o basquete, que o artista Rodrigo Bittencourt homenageou o clube com uma estátua de seis metros de altura, nas proximidades do Hugão.

Investimento alto

O orçamento da equipe de Mogi está na casa dos R$ 6 milhões, o triplo do Caxias. A expectativa é de que neste ano o time consiga passar das quartas de final, onde caiu na última temporada para o Vitória.

Torcida apaixonada

O Mogi tem a segunda maior média de público, com 2.928 torcedores. Hoje, a expectativa é de que o ginásio para 6 mil espectadores esteja lotado. Para se ter uma noção, o clube tem três torcidas organizadas: Fanáticos, Fúria Mogi e a Garra Mogiana.

Leia também
Mirassol: Apostando nas categorias de base, rival do Caxias na primeira fase quer repetir boa campanha de 2011
Caxias Basquete quer manter força defensiva para vencer duelo em Mogi das Cruzes
"Não tínhamos dúvidas quanto ao resultado da improcedência da denúncia", diz prefeito de Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros