Caxias na Série D: Foco total no acesso - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Favorito no Grupo A1520/04/2018 | 08h00Atualizada em 20/04/2018 | 08h00

Caxias na Série D: Foco total no acesso

As armas e mudanças do time de Luiz Carlos Winck para retornar à terceira divisão nacional

Caxias na Série D: Foco total no acesso Porthus Junior / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Porthus Junior / Agência RBS / Agência RBS

O Caxias quer entrar forte na busca para conquistar o acesso à Série C. Após 10 anos disputando a terceira divisão nacional, a equipe grená vai para o terceiro ano fora dos sessenta melhores do Campeonato Brasileiro. Para conseguir subir, o time aposta no Centenário e na continuidade de uma base. 

Após ficar de fora do calendário das competições nacionais em 2017, e do quinto lugar no Gauchão deste ano, a equipe grená mantém boa parte do grupo que disputou o Estadual. Além disso, a comissão técnica segue a mesma após a precoce eliminação para o Avenida, na fase de quartas de final do campeonato do Rio Grande do Sul.

As principais mudanças foram do meio para a frente. Deixaram o Caxias seis atacantes, do valorizado Nicolas, que foi para o Criciúma, disputar a Série B, até a tentativa que não deu certo com João Paulo, artilheiro do Gauchão do ano passado e que acertou seu retorno para o Novo Hamburgo. 

As contratações foram pontuais e a maioria delas voltadas ao ataque. Após os dois testes na pré-temporada, Wesley, que disputou o Estadual pelo Veranópolis, e Eder, que atuou no São Luiz, de Ijuí, assumiram a titularidade e são esperanças ofensivas ao lado de Nathan Cachorrão, que chegou no decorrer do Gauchão.

A esperança para alcançar o acesso passa também pelo meio-campo, e a boa fase iniciada no Estadual por Diego Miranda, titular indiscutível do time de Luiz Carlos Winck durante as 13 partidas no Campeonato Gaúcho.

– Acredito que vou poder ajudar bastante o time do Caxias porque tive uma sequência boa. O jogador que consegue ter isso, mantém o ritmo. Não perde o foco. Tem outros jogadores que estão bem no grupo. É como o Winck sempre fala, ninguém é titular. O time evoluiu bastante com a chegada dos novos reforços.

Com o Inter-SC com poucos dias de trabalho, o Mirassol completamente reformulado e o Nova Iguaçu vindo de um péssimo Estadual, o favoritismo para conseguir a liderança da chave  e avançar ao mata-mata recai sobre a equipe grená.

– Todos que estarão jogando vão estar querendo. Já atuei em clubes que também não eram favoritos e acabei subindo. É importante mantermos os pés no chão, ter foco jogo a jogo, porque tenho certeza que será muito difícil – diz o camisa 10.

:: Presidente: Roberto Delazzeri
:: Estádio: Francisco Stedille, o Centenário
:: Capacidade: 22 mil lugares
:: Estadual 2018: 5º lugar
:: Técnico: Luiz Carlos Winck
:: Reforços: Eder (atacante, ex-São Luiz), Wesley (centroavante, ex-Veranópolis), Mikael (volante, ex-São Luiz) e Caio Cézar (meia, ex-Boavista-RJ))
:: Time-base: Gledson; Igor Bosel, Júnior Alves, Jean e Julinho; Marabá e Rafael Gava (Gilson);Eder, Diego Miranda e Nathan Cachorrão; Wesley.

Leia também
Rafael Gava volta ao time do Caxias. Jean é desfalque confirmado para estreia grená

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros