Rodrigo Poletto volta à preparação física do Juventude após oito anos - Esportes - Pioneiro
 

Reforço fora de campo07/03/2018 | 13h26Atualizada em 07/03/2018 | 13h26

Rodrigo Poletto volta à preparação física do Juventude após oito anos

Profissional caxiense será membro da comissão técnica permanente do clube

Rodrigo Poletto volta à preparação física do Juventude após oito anos Arthur Dallegrave / Juventude, Divulgação/Juventude, Divulgação
Foto: Arthur Dallegrave / Juventude, Divulgação / Juventude, Divulgação

Uma mudança significativa em uma das áreas mais criticadas deste início de ano no Juventude. Visivelmente abaixo fisicamente, a diretoria já havia detectado a necessidade da contratação de um profissional que chegasse para resolver a situação. Desde a terça-feira (6), a responsabilidade de colocar o time em forma volta para o caxiense Rodrigo Poletto, de 45 anos.

Em sua quinta passagem pelo Estádio Alfredo Jaconi, Poletto se sente em casa com a camisa alviverde. O início dessa história foi em 1994, ainda nas categorias de base, até chegar ao profissional, no ano 2000. No time de cima ficou até 2005, e voltou em 2006, 2008 e 2010. 

O retorno neste momento, agora como membro da comissão permanente do clube, é um novo desafio para quem rodou o mundo após sair de Caxias.

Leia mais
Semana decisiva: Juventude joga o futuro no Gauchão

— Volto contente e feliz com esse desafio. Gostei muito do projeto. Se está tendo mudança, ou é porque a comissão técnica fez um grande trabalho e os profissionais foram valorizados e saíram, ou, em outros casos, quando o resultado não vem,  e chegamos para implantar uma filosofia e uma forma de trabalhar. Essa é a vida do futebol – disse Poletto.

Depois que saiu do Ju, o preparador físico passou por grandes clubes brasileiros, como Vasco e Fluminense, ao lado dos técnicos Ricardo Gomes e Cristóvão Borges. Fora do país, trabalhou na Rússia, no Panamá e mais recentemente no Al Nassr, da Arábia Saudita. 

Mesmo sem tempo para trabalhar com o grupo e implementar suas ideias de forma imediata, Poletto não se eximiu de assumir a responsabilidade desta semana importante para o time:

— Quando fui convidado para assumir aqui, quis vir o mais rápido possível. Sabemos das dificuldades, da falta de tempo e destes dois jogos superimportantes, além do pouco espaço para treinar. Não tem como fazer muita coisa. É impossível dar uma carga muito forte de treinos, o que poderia piorar a situação do time. Temos que fazer um trabalho de recuperação e ir conhecendo mais os atletas. Minha ideia é fazer um trabalho longo aqui.

Logo na chegada, alguns problemas. Bruninho e Caprini estão praticamente fora da partida desta quinta-feira, contra o São José. Fred, Sananduva, Denner e Fellipe Mateus não participaram do treinamento da terça, mas não preocupam a comissão técnica.

— Decidimos que era melhor poupar os atletas e tirá-los nesse momento dos treinamentos. Treinar agora eles não ganhariam nada em condição e eles precisam se recuperar para esses dois jogos importantes que temos — destacou o preparador.

Nos últimos meses, Poletto fez os cursos da CBF para obter a licença para técnico, apesar disso não ser a sua ideia para a carreira:

— Não é meu objetivo ser treinador. Mas o preparador físico moderno tem que trabalhar de maneira sistêmica, dentro da ideia do treinador.

Leia também
Três atletas da ACBF são convocados para seleção

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros