Julinho Camargo diz que seu ciclo no Juventude começa a partir de agora - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Série B14/03/2018 | 08h00Atualizada em 14/03/2018 | 08h00

Julinho Camargo diz que seu ciclo no Juventude começa a partir de agora

Técnico diz que jogadores tem que sentir eliminação no Gauchão, mas pensar no futuro

Julinho Camargo diz que seu ciclo no Juventude começa a partir de agora Porthus Junior / Agência RBS/Agência RBS
Foto: Porthus Junior / Agência RBS / Agência RBS

A volta para um novo ciclo ainda com o gosto amargo do antigo. O grupo de jogadores do Juventude se reapresentou na tarde de ontem, após a eliminação precoce do Campeonato Gaúcho, no domingo. Além do semblante fechado dos atletas, a volta aos trabalhos também marcou o início verdadeiro da Era Julinho Camargo no Estádio Alfredo Jaconi. Mesmo sentido com a saída do Estadual, o treinador fala que agora é o seu momento no clube:

— O ciclo que foi feito no Gauchão tem que arder. Não pode ser “passou e está tudo bem”. Não está tudo bem, não. Ponto. Eu estou iniciando um trabalho no Juventude. O peso do Gauchão acabou. Quero que entendam que o processo do Julinho Camargo é novo. O fato do clube ter ficado fora tem que arder, mas acabou. Eu não vivo de passado. Quero que os jogadores coloquem uma pedra nisso. Tem que ficar envergonhado, mas eu quero ver para a frente.

Para o volante Amaral, titular nas três partidas em que Julinho esteve no comando do time, o sentimento da eliminação ainda causa desconforto:

— Lógico que incomoda. Sempre queremos estar jogando, chegando o mais longe possível. Deixa a gente bem chateado. Mas acredito que agora podemos nos fortalecer com o que passou e focar somente na Série B do Brasileiro.

Pensando no início de intertemporada para a Série B, Julinho Camargo quer a participação ativa da diretoria na ideia de contratações e liberações de atletas:

— Eu entendo que um clube não pode ser refém de um treinador. Sempre procurei construir isso por onde passei. Acredito que o clube tem que ser forte, e não as pessoas. Justamente porque as pessoas passam, vão embora, e é importante que deixem um legado. Não pode ser um ciclo do Julinho, tem que ser um ciclo do Juventude.

A direção e a comissão técnica ainda não confirmam nenhum acerto para vinda ou saída de jogadores para a sequência da temporada, mas o treinador se diz alerta ao que pode acontecer nas negociações:

— Em relação a jogadores, não é o momento de falar em nomes. São situações que tem que ser tratadas internamente. E, principalmente, acho importante que a gente valorize quem está aqui e que achamos que pode dar sequência no clube. Mas certamente estamos atentos ao mercado.

A primeira semana será com foco maior nos trabalhos físicos. Começou um novo momento no Jaconi. E Julinho Camargo sabe que terá que se ajustar à realidade alviverde:

— Temos que ter as melhores escolhas dentro da realidade do clube.

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros