Caxias evita falar em favoritismo sobre o Avenida - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Gauchão12/03/2018 | 22h02Atualizada em 12/03/2018 | 22h02

Caxias evita falar em favoritismo sobre o Avenida

Atletas grenás consideram a partida como uma final de competição

Caxias evita falar em favoritismo sobre o Avenida Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Nathan (C) destaca clima de revanche contra o único rival que derrotou a equipe grená Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS

Pelo segundo ano consecutivo, o Caxias mostra que retomou o seu papel de protagonista dentro do cenário estadual e chega com força às quartas de final do Gauchão. Segundo colocado na classificação geral, com 20 pontos e apenas uma derrota sofrida, o time tem um certo favoritismo a se confirmar contra o Avenida, nos dois confrontos – sendo que o primeiro será sábado, às 18h, no Estádio dos Eucaliptos. Um quadro bem oposto ao de um ano atrás.

Em 2017, o time do técnico Luiz Carlos Winck encarava o grande rival da cidade, Juventude. Foram dois clássicos eliminatórios e com um peso emocional muito forte em ambos, vencidos pelo Caxias. Um ano depois, o rival Avenida não tem o mesmo peso que o coirmão caxiense. 

Por mais que o clube de Santa Cruz do Sul  viva sua melhor campanha na história do Estadual, classificou em sétimo lugar, não tem toda a tradição do Juventude. Por isso, a inclinação em favor dos grenás. Só que isso é restrito ao extracampo, ao menos para os jogadores.

– O perigo é justamente achar que terá mais facilidade. Tem que encarar como o jogo da vida. Num momento onde muitos companheiros estão desempregados, precisamos encarar como uma final. O que garante a permanência por mais um mês trabalhando até começar a Série D – recorda o volante Marabá.

Para o Caxias também há um gosto de revanche. Há nove dias, a boa campanha grená sofria sua única derrota até aqui. O Avenida venceu por 1 a 0, em Santa Cruz do Sul, e acendeu o alerta de crise no Centenário, que só foi apagado domingo, após uma série de seis partidas sem conquistar um triunfo. 

– Está engasgado. Foi a única equipe que nos venceu. Tem que ter tranquilidade agora, analisar os erros que cometemos naquela partida e ver como eles jogam – destaca o atacante Nathan.

São fatores extras que entrarão em campo a partir deste sábado. Se o apelo emocional dos torcedores não será o mesmo que 2017, uma eliminação traria cobranças muito fortes. Aos jogadores, existe também o desafio de chegar na mesma fase que o clube parou há um ano, para depois projetar um algo a mais.

– Não podemos pensar menos que o ano passado. Quando colocamos objetivos na vida, tem que pensar assim. Não seria diferente no futebol. Ano passado chegamos na semi, esse ano tem que sonhar em chegar na final – acrescenta Marabá.

Leia mais
Começam obras de duplicação do trecho simples da BR-116 em Caxias do Sul

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros