Aspecto físico e erro de Matheus como pontos determinantes da derrota do Juventude - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Gauchão 201804/03/2018 | 20h25Atualizada em 04/03/2018 | 20h33

Aspecto físico e erro de Matheus como pontos determinantes da derrota do Juventude

Zagueiro Fred e técnico Julinho Camargo enalteceram atuação da primeira etapa

Aspecto físico e erro de Matheus como pontos determinantes da derrota do Juventude Marcelo Casagrande/Agencia RBS
Na metade do primeiro tempo, Bruninho se machucou, mas seguiu na partida até o começo da segunda etapa Foto: Marcelo Casagrande / Agencia RBS
Pioneiro
Pioneiro

O erro cometido pelo goleiro Matheus Cavichioli, com menos de um minuto de bola rolando no segundo tempo foi determinante para a derrota do Juventude para o Grêmio por 2 a 0 no domingo, no Alfredo Jaconi. Mesmo que tivesse poucas ações ofensivas, o time vinha se defendo bem até então, como aponta o zagueiro Fred.

— Foi muito cedo. Confesso que me desestabilizou. A gente não esperava, recuamos para o Matheus. Talvez com um pouco de excesso de confiança por ter qualidade, se complicou. Mas acontece, poderia ser comigo, com o Micael. Estão todos abalados. Estávamos fazendo um bom jogo. E tivemos de nos expor quando sofremos o primeiro gol. Passou. Que sirva de lição para os próximos jogos — avaliou o zagueiro.

A derrota de ontem para o Grêmio foi o nono jogo do Ju no Gauchão e em todos eles o time sofreu pelo menos um gol. 

— Quando toma gol são cobrados os zagueiros. Temos que trabalhar um pouco mais. No momento que o jogador vem de trás, não é só responsabilidade dos zagueiros. Ninguém quer tomar gols. Temos de trabalhar. Conseguimos consertar a bola parada, mas fomos envolvidos em outras situações — acrescentou Fred.

Além da falha, para o técnico Julinho Camargo, o aspecto físico também contribuiu para que a estratégia de anular as jogadas rivais não tivessem êxito até o fim do jogo.

— Montamos uma ideia de jogo, tivemos o controle de anular algumas ações do Grêmio. O Caprini era peça principal nesta ideia, com escape de velocidade. Mas logo cedo tivemos problemas físicos dele, do Bruninho, do Fred e do Caprini. Temos um contexto ruim do clube neste quesito físico. No primeiro tempo, fizemos um trabalho bom, mas a questão física acabou com minha ideia — resumiu o estreante da tarde no Jaconi.

Leia também:
Morte de Raul Randon repercute na Itália
Empresas Randon prestam homenagem ao fundador e mudam expediente de trabalho
Memória: o casamento de Raul Randon e dona Nilva em 1956

 
 
 
 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros