Goiana Lorena Cardoso, destaque do Banana Bowl, iniciou no tênis por vida saudável - Esportes - Pioneiro

Versão mobile

 

Tênis22/02/2018 | 10h00Atualizada em 22/02/2018 | 10h00

Goiana Lorena Cardoso, destaque do Banana Bowl, iniciou no tênis por vida saudável

Jovem de 15 anos sonha com carreira profissional na modalidade

Goiana Lorena Cardoso, destaque do Banana Bowl, iniciou no tênis por vida saudável Porthus Junior/Agencia RBS
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

O Banana Bowl, disputado em Caxias do Sul, reúne talentos do tênis de até 16 anos. Dentre eles está a goiana Lorena Medeiros Cardoso. Lorena nasceu em Goiatuba. Sua história com a modalidade começou de uma forma bem peculiar:

Leia Mais:
Banana Bowl reúne talentos e sonhos de jovens promissores em Caxias do Sul
Mau tempo em Caxias atrapalha programação do Banana Bowl 

– Quando tinha quatro anos, era muito gorda e meu pai fez eu ir para as aulas de tênis para emagrecer. Eu não gostava. Ia para o clube só para isso e era horrível. Depois de uns três anos comecei a competir e vi que era muito bom. Hoje não vivo sem o tênis – conta a adolescente de 15 anos.

Deu tão certo que, aos 10 anos, Lorena já começou a prospectar sua ida para os grandes centros. O Instituto Tênis, em Barueri, virou sua base, dois anos depois. Hoje, ela vive no CT do clube e volta para casa quatro vezes por ano. De resto, são mais de 25 semanas viajando pelo mundo para competir. 

– Sempre foi meu sonho conhecer outros países, novas culturas e jogar com outras meninas – conta Lorena.

Isso se deve exclusivamente ao esporte e ao seu talento, hoje lapidado no Instituto Tênis.

– A ideia é trazer crianças de todos os lugares possíveis e tentar desenvolver o potencial dentro do CT. Temos 20 atletas que tentamos lapidar, cada um com uma cultura de trabalho, estudos e dedicação – explica Fabiano Ferreira, treinador e coordenador do tênis feminino da instituição.

Mesmo que o clube dê toda estrutura para treinamentos e viagens, não há pressão sobre resultados. 

– Não tem cobrança por resultado, mas por atitude e esforço. Sempre tem que dar o melhor na quadra e mostrar atitude, que o resto é consequência – conta Lorena.

Só que neste processo, a menina também tem que fazer escolhas. Neste ano, começará estudar à distância e treinar mais. Tudo em prol do grande sonho que é viver do tênis, se tornar uma profissional. Largar o esporte e as viagens é algo descartado por Lorena:

– Nunca! Já se tornou minha vida e a minha rotina.

Sub-14

Na categoria sub-14 feminina, nenhuma brasileira avançou às quartas de final. A caxiense Amanda de Oliveira foi eliminada nesta quarta-feira pela paraguaia Paulina Martinessii, por 2 sets a 0, parciais de 6/2 e 7/6. Amandinha ainda segue na disputa de duplas do torneio.

Leia também:
Candidata desiste de participar do concurso de soberanas da Festa da UvaCalendário de oitivas do processo de impeachment do prefeito de Caxias deve ser divulgado até sexta Praça do Trem, em Caxias, fica sem iluminação após furto de cabos de energia

 
Pioneiro
Busca
clicRBS
Nova busca - outros